Denúncia

Médico é denunciado por abuso sexual durante consulta em posto de saúde, em Imperatriz

Os abusos, segundo a denunciante, aconteceram no dia 15 de junho quando ela precisou ir ao posto de saúde em busca de um laudo médico.

Imirante.com / Imperatriz

- Atualizada em 26/08/2022 às 17h53
Fato teria acontecido dentro do Centro de Especialidades Médicas dos Três Poderes, em Imperatriz.
Fato teria acontecido dentro do Centro de Especialidades Médicas dos Três Poderes, em Imperatriz. (Foto: Divulgação)

IMPERATRIZ - Uma mulher procurou a polícia na última terça-feira (23) para denunciar abusos praticados por um médico da rede municipal de saúde de Imperatriz. O caso ganhou repercussão nesta sexta-feira (26) com a divulgação do fato, que teria acontecido dentro do Centro de Especialidades Médicas dos Três Poderes, em Imperatriz.

Os abusos, segundo a denunciante, aconteceram no dia 15 de junho quando ela precisou ir ao posto de saúde em busca de um laudo médico. Ela teria sido trancada no consultório e forçada a fazer sexo com o médico, fazendo ameaças caso ela gritasse. Após contar o acontecido para a família, a mulher foi encorajada a denunciar o médico.

A mulher solicitou medidas protetivas de urgência e está sendo acompanhada por uma equipe da Casa da Mulher Maranhense, em Imperatriz. O caso começou a ser investigado pela Delegacia Regional e o suspeito foi ouvido hoje, mas o advogado dele informou que seu cliente só vai se pronunciar após ter acesso ao depoimento da vítima.

A Prefeitura de Imperatriz informou que abriu um processo administrativo para acompanhar o caso e que afastou o médico das funções no município. 

Leia a íntegra da nota da Prefeitura de Imperatriz:

"A Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria de Saúde, comunica que está apurando a ocorrência envolvendo um médico em um dos locais de atendimento da rede municipal e vem a público informar que abriu Procedimento Administrativo, afastando o servidor público apontado como autor do fato. 

A Prefeitura não compactua com qualquer forma de violência praticada contra a mulher, seja ela física, psicológica, patrimonial ou outras. O caso é investigado pela Polícia Civil e à vítima foi prestado apoio com acompanhamento psicológico e encaminhamento à Delegacia da Mulher. 

Quanto aos pacientes que tiveram atendimento cancelado, estes serão remanejados para outro profissional."

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.