Escassez

Medicamentos para tratamento de HIV estão em falta em Imperatriz

Coquetéis precisam ser tomados diariamente por portadores do vírus da Aids.

Angra Nascimento/Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h07
É por meio dos medicamentos que a carga viral é reduzida.
É por meio dos medicamentos que a carga viral é reduzida. (Foto: Divulgação)

IMPERATRIZ - Portadores do vírus HIV (Aids) em Imperatriz reclamam da falta de medicamentos para o tratamento. Os remédios que são distribuídos gratuitamente pela rede pública de saúde estão em falta. Pacientes contam que a escassez desses medicamentos acontece com frequência.

De acordo com a coordenadora do programa DST-Aids, Gisele Vieira, o número de pacientes infectados aumentou, e não há medicação para todos. “Nos últimos quatro meses aumentou a quantidade de usuários. Então, a quantidade de medicamentos que nós recebemos é para um número x, com o aumento de pacientes, esse número é insuficiente”.

O programa atende em Imperatriz cerca de três mil pessoas. Com o aumento de casos, a quantidade de medicação, que é repassada pelo Ministério da Saúde ainda não atende à demanda. A previsão para a chegada de mais medicamentos é para o dia 20 de julho. Mas a coordenadora do programa não garante que será o suficiente para todos os pacientes que estão aguardando.

Os coquetéis de tratamento contra o HIV precisam ser tomados diariamente. É por meio deles que a carga viral é reduzida e impede a transmissão pelo sexo, por exemplo. Por isso, além de proporcionar qualidade de vida para o portador, os medicamentos ainda previnem que o vírus se espalhe.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.