Check-up

Especialistas reforçam a importância de exames preventivos e diagnóstico precoce para o câncer

No combate à doença, essas medidas são fundamentais para aumentar as chances de cura.

Brasil 61

Check-up é fundamental, pois pode diagnosticar o câncer em fases muito iniciais.
Check-up é fundamental, pois pode diagnosticar o câncer em fases muito iniciais. (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA - O câncer mais comum entre os homens é o de próstata, com o número estimado de 65.840 novos casos. Entre as mulheres, são 66.280 casos de câncer de mama. Os dados são do Instituto Nacional de Câncer (INCA). Especialistas reforçam a importância de exames preventivos e diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura.

Arn Migowski, epidemiologista e chefe da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede do INCA, alerta para a mamografia. Esse exame pode detectar o câncer de mama precocemente, e deve ser feito uma vez a cada dois anos, por mulheres com idade entre 50 e 69 anos. 

“A mamografia é um exame que a gente recomenda para várias indicações, uma delas é como exame de rotina que a gente chama de rastreamento de câncer de mama, o famoso check-up, para detectar o câncer de mama em mulheres que não tem sinais de sintomas sugestivos de câncer de mama, mulheres assintomáticas”, explica. 

Segundo o médico, para os homens, ainda não existe um exame de rastreamento de câncer adequado. “Tem muitos exames que são usados em rotina como check-up para câncer que não são indicados. Um exemplo provavelmente dos mais populares são os exames para detectar precocemente o câncer de próstata, o toque retal e o PSA (Antígeno Prostático Específico). Esses dois exames são importantes para diversas finalidades, inclusive para avaliação diagnóstica para câncer de próstata, mas não para check-up”.

Importância do check up

“Tem alguns tipos de exames que ajudam realmente a prevenir o câncer. É o caso do exame citopatológico do colo do útero, também chamado de papanicolau”, relata o especialista Arn Midowski. De acordo com ele, o exame deve ser feito por mulheres com idade entre 25 e 64 anos que já tiveram relação sexual. Os primeiros devem ser feitos com intervalo anual e, se ambos forem negativos, a periodicidade deve ser trienal.

Fernanda Fagundes, de 23 anos, moradora da cidade de Sapiranga, no Rio Grande do Sul, tem histórico de câncer de útero na família, e por isso começou a fazer exames de check-up aos 17 anos. “Por parte de pai, eu tenho duas tias que tiveram um câncer de colo de útero. Ambas precisaram fazer a remoção do útero, então, eu sempre tive muita presença nessa doença”, afirma.

Fernanda aumentou a frequência do check-up geral e exame de sangue para uma vez por semestre, após o tratamento de um câncer de linfoma, que afeta o sistema imunológico. “[O exame] nos permite visualizar qualquer coisa diferente que esteja no nosso corpo e a gente não tenha se dado conta. Então, principalmente o câncer, ele é uma doença que, quanto antes for iniciado o tratamento, mais resultado positivo um paciente vai encontrar. Eu mesma tive sintomas um ano antes de descobrir a minha doença. E se eu tivesse me atentado mais a esses esses sintomas tão sutis, teria descoberto a minha doença muito antes”.

A oncologista clínica Alessandra Leite esclarece que o check-up é fundamental, pois pode diagnosticar o câncer em fases muito iniciais. “Esses tumores muito menores são aqueles mais curáveis. A chance de cura é imensa. E também, os tratamentos são menos radicais”, explica.

Apesar de o câncer não ser uma doença unifatorial, a médica esclarece que mudanças de estilo de vida também são importantes para a prevenção da doença. “Você pode ter uma tendência genética que seja sua ou que seja hereditária. E se você associa isso a exposições negativas durante a vida, como por exemplo, consumo excessivo de bebida alcoólica, tabagismo, consumo de comidas que têm embutidos, predispõem vários tipos de tumores. Esses fatores são fatores modificáveis por nós em nossa rotina e que são mais um fator para você poder desenvolver um tumor na vida”.

Ela recomenda dieta saudável e a prática de atividades físicas na prevenção de alguns tipos de tumores, como no pâncreas, mama e próstata. “Uma dieta equilibrada, comendo de tudo um pouco, então um pouco de carboidrato, proteínas variadas, não ingerir bebida alcoólica em excesso, evitar se expor a agentes inalantes que são tóxicos, tudo isso colabora, é para a gente diminuir um pouco o risco” alerta a especialista. 

Câncer é o nome dado a uma série de doenças causadas pelo crescimento anormal de células no organismo, que se multiplicam rapidamente. Caso não sejam tratados, podem levar à morte. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.