No Senado

Ministro da Justiça não comparece e audiência pública na CDH é adiada

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, havia sido convidado, mas não pôde comparecer.

Agência Senado

Anderson Torres é ministro da Justiça do Governo Bolsonaro
Anderson Torres é ministro da Justiça do Governo Bolsonaro (Pedro França/Agência Senado)

BRASÍLIA - Foi adiada a audiência pública da Comissão de Direitos Humanos (CDH) Do Senado que estava marcada para as 14h desta terça-feira (22). A audiência seria realizada de forma conjunta com a Comissão Temporária sobre a Criminalidade na Região Norte. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, havia sido convidado, mas não pôde comparecer. Ele não tinha confirmado presença. Ainda não foi acertada a data para um novo encontro.

O objetivo da audiência era debater as causas do aumento da criminalidade e de atentados contra povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos e jornalistas na região Norte e em outras regiões do país. O encontro também teria foco na fiscalização das providências adotadas pelo poder público diante dos assassinatos do indigenista Bruno Araújo e do jornalista Dom Phillips.

Leia também: Deputado defende a prisão de Bolsonaro após ação da PF contra ex-ministro

Pela manhã, as duas comissões já tinham promovido uma outra audiência conjunta. Durante essa reunião, representantes de entidades indigenistas apontaram que as mortes de Bruno Araújo e Dom Phillips não foram fatos isolados e estão em um contexto de criminalidade crescente na região Amazônica, em especial no Vale do Javari. A iniciativa das audiências partiu do presidente da CDH, senador Humberto Costa (PT-PE).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.