Pergentino Holanda

Holanda Sobrinho braço maranhense da Elo Consultoria

E mais: Ana Karin recebida por Michel Temer e Cíntia Klamt Motta no Fast Framer.
PH29/10/2021 às 11h46
Holanda Sobrinho, à direita, com Jorge Ulisses Jacoby Fernandes

JORGE ULISSES Jacoby Fernandes, renomado palestrante, ao lado do empresário maranhense Holanda Sobrinho, que é o representante da empresa Elo no Maranhão e no Piauí. A Elo trabalha com os mais diversos temas relacionados à administração pública, incluindo aqueles do Direito Administrativo, obras públicas e eventos motivacionais, há mais de 25 anos. Seu corpo docente é composto por especialistas no assunto, que detém tanto o conhecimento teórico quanto a experiência prática. O treinamento in company é planejado de acordo com as necessidades de cada empresa. Na modalidade on-line, a Elo Consultoria, que é uma das mais conceituadas do Brasil, tem uma plataforma onde é possível a interação entre o professor e o aluno

Uma cerveja em versão "de luxe"

Para completar dois anos no Brasil, a Cervejaria De Roos fará edição limitada da Bikse Tripel, seu carro-chefe. Serão apenas 50 garrafas de 750ml exclusivas e numeradas à mão, em caixa de madeira com duas taças. Nascida em Hilvarenbeek, no sul da Holanda, há 140 anos, a De Roos foi trazida ao Brasil por Ties de Leijer, décima geração da família.

Ana Karin ao lado de Michel Temer

Atuante como presidente do grupo Mulheres Solidárias, em São Paulo, Ana Karin Andrade foi recebida esta semana pelo ex-presidente Michel Temer para falar sobre suas atividades no setor social de apoio a pessoas carentes

Os mortos que voltaram

Em boa hora o cronista Nilson Souza fez o registro do transcurso dos 50 anos do lançamento, pelo grande escritor Érico Verissimo, do seu último romance, Incidente em Antares, apresentado ao público dia 29 de outubro de 1971.

O livro continua sendo uma leitura atual, atraente e divertida – não apenas pela contundência e pela precisão da crítica política nele contida, mas também, e principalmente, por usar o realismo fantástico para escancarar as mentiras de uma sociedade hipócrita e injusta.

Em primeiro lugar, destaca-se a sacada genial do escritor, quando ele leu, em um jornal norte-americano, a notícia sobre uma greve de coveiros.

Os mortos que voltaram...2

A partir daquela pequena nota, Érico construiu uma história envolvente tendo como palco uma cidade fictícia do Brasil, na qual mortos insepultos devido à paralisação dos trabalhadores do cemitério levantam de seus esquifes e voltam temporariamente à vida para acertar contas com autoridades, parentes e maus cidadãos. Um acerto de contas moral, bem entendido, pois não se trata de uma dessas sangrentas batalhas de zumbis das séries televisivas. A arma do escritor – e de seus ressentidos personagens – é unicamente a palavra.

Com discursos no coreto central da cidade, os mortos denunciam a corrupção, a violência, as traições, o autoritarismo e outras mazelas de uma sociedade desigual. O mais curioso é que o romance foi lançado em pleno regime militar, driblando a censura real num dos momentos de maior repressão no país.

Os mortos que voltaram...3

Os mortos-vivos dão um verdadeiro show de moral nos muito-vivos. Livres de convenções e represálias graças ao verdadeiro habeas corpus preventivo que a morte lhes confere, os sete defuntos escancaram a podridão dos poderes, desmascaram a hipocrisia da sociedade conservadora e fazem todo o tipo de acusações contra os autodenominados “cidadãos de bem” – extrato social que não raro abrange um contingente expressivo de canalhas.

Os mortos que voltaram...4

Incidente em Antares, que também virou minissérie de televisão, continua sendo uma leitura imprescindível, especialmente nestes tristes tempos em que os mortos – sem volta e sem um coreto para se manifestar – continuam sendo desrespeitados pelos que se julgam mais vivos, mas que são apenas retardatários na fila inexorável.

Cíntia com Keilla e Regis Gella

A designer Cíntia Klamt Motta foi conhecer, na tarde de ontem, as novas e modernas instalações da Fast Framer, no Renascença, e elogiou bastante o novo empreendimento de Keilla e Regis Gella. Os três são vistos na foto acima

Dia para todos os gostos

Tome nota: hoje, além de ser comemorado o Dia Nacional do Livro, também se comemora o Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC), Dia Mundial da Psoríase, Dia Nacional da Psoríase, Dia Nacional de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Dia Nacional do Cerimonialista.

Luciano Gomes visto com as filhas Giovanna e Rafaela

O empresário Luciano Gomes se orgulha de ser um grande conhecedor de vinhos e, ultimamente, tem investido em tintos argentinos, chilenos e sul-africanos. Na foto, é visto em encontro recente com as filhas Giovanna e Rafaela, no agradável restaurante Ferreiro Grill

Pensar o Maranhão

O Grupo de Trabalho “Pensar o Maranhão”, coordenado pelo vice-presidente executivo da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Luiz Fernando Renner, realizou a décima quarta reunião com temática sobre saneamento básico e contou com a presença do presidente da Fiema, Edilson Baldez, e do secretário nacional de Saneamento do Ministério de Desenvolvimento Regional, maranhense Pedro Maranhão, na última terça-feira, na Casa da Indústria.

A reunião de trabalho teve como propósito analisar os desafios do novo marco do saneamento a fundo e debater a necessidade de garantir saneamento básico para Maranhão que possui menos da metade da população com acesso a água e esgoto tratados, segundo Pedro Maranhão.

Pensar o Maranhão...2

No cenário atual, o Maranhão possui 7,1 milhões de habitantes espalhados em 217 municípios. Segundo informações do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) em 2019, apenas 48,4% da população é atendida com abastecimento de água, enquanto somente 11,5% possuem coleta de esgoto em suas residências. O estado avança lentamente nesse sentido: nos últimos 15 anos (2005 a 2019), dos atuais 7 milhões de habitantes, menos de 100 mil pessoas passaram a ter acesso ao serviço de abastecimento de água tratada e 246 mil passaram a ter o serviço de coleta de esgoto.

---------------------------------------------------

Morte de Gilberto Braga

Gilberto Braga, autor de novelas famosas como Dancin Days (1978), Vale Tudo (1988) e Paraíso Tropical (2008), com quem estive pelo menos duas vezes em reuniões sociais e que morreu na última terça-feira, no Rio de Janeiro, completaria 76 anos na segunda-feira. Braga foi crítico de teatro e cinema antes de trabalhar como autor. A primeira novela de sua autoria é de 1974. Com a sequência de sucessos, tornou-se um dos principais autores de novelas do país. Dancin Days, de 1978, marcou sua estreia no horário nobre e seu rompimento com as adaptações de obras clássicas da literatura. Por conta de Paraíso Tropical, foi agraciado com o prêmio internacional Emmy. Em 1974, escreveu a novela Corrida do Ouro, em coautoria com Lauro César Muniz. Essa foi uma das três parcerias da dupla, sendo as outras duas Carinhoso e Escalada.

Super-heróis e outros personagens dos desenhos animados marcarão presença no evento

Este domingo, 31, será de muito axé e solidariedade em São Luís, com o Renata Fest, evento que beneficiará 400 famílias assistidas pelo Instituto Canção de Curar. A data coincide com o aniversário da fundadora, Paula Renata Costa Silva, que escolheu como presente cestas básicas. A festa, no buffer Versátil, no Olho d’Água, terá a participação de empresários e pessoas apoiadoras do trabalho social desenvolvido por ela. O estilo da festa é micareta e cada abadá corresponde à doação das cestas básicas. Entre as atrações estão PP Júnior, Banda Mix in Brazil, Kosta Neto e outras.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.