Talento

Conheça a história do cantor e compositor maranhense Elizeu Cardoso

Autor de vários trabalhos, artista é apaixonado pela cidade de Pinheiro.
Raunyr dos Santos / Na Mira27/01/2021 às 09h08
Elizeu Cardoso, músico maranhense. (Foto: reprodução / arquivo pessoal).

SÃO LUÍS – O cantor, compositor, escritor e professor maranhense Elizeu Cardoso, de 45 anos, é autor de inúmeros trabalhos, vencedor de prêmios conquistados por meio de vários festivais. Criador de diversas canções, dentre elas o clipe “Bela Princesa”, em homenagem a princesa da baixada, a cidade de Pinheiro. Em entrevista ao Na Mira ele conta um pouco sobre sua trajetória

Carreira

Elizeu é pinheirense, mas desde muito cedo veio morar em São Luís para estudar. Começou a carreira em sua cidade natal, tocando em bares. “Comecei, como todo artista, fazendo barzinhos, mas logo fui seduzido pelos festivais, onde percebi que poderia mostrar as canções que fazia”, disse.

Logo nos anos 90, o cantor conquistou as primeiras premiações, como o Festival de Música de Pinheiro ( Femasp), em que ocupou o segundo lugar e em seguida, no ano de 1993, conquistou o primeiro lugar no Festival Ecológico de Pinheiro.

O artista é autor de inúmeras obras, tem dois CD´s lançados (Todos os Cantos e Alma Negra), além de vários singles lançados nas plataformas digitais. Apaixonado por sua cidade, Elizeu lançou há pouco mais de dois anos um clipe chamado “Bela Princesa”, em homenagem ao município de Pinheiro, distante 144 km de São Luís. “Acredito que todo artista deve dar voz ao seu lugar, dizendo ao mundo quem somos e de onde viemos” relatou Elizeu.

Festivais

O cantor já participou de diversos festivais, adquirindo várias premiações ao longo dos anos. Ele relata que o último que participou, o de Música de Imperatriz, foi o mais desafiador devido a pandemia. “O de Imperatriz foi uma ousadia e tanto, pois foi realizado em plena pandemia. Então, mesmo com as limitações, mostrou a força desse querer fazer. Já havia recebido premiações técnicas de outros festivais, mas esse prêmio foi diferente, me senti abraçado”, contou o artista.

Ao todo foram 880 votos e que fizeram com que a canção “ Bela Princesa” ganhasse o prêmio Aclamação Popular. Ele conta que tira várias lições dos festivais. “Ninguém ganha festivais. Todo mundo ganha dos festivais novos amigos, novas inspirações, novos repertórios, novos nomes de cantores e compositores, esse é o grande prêmio que conquistamos”, disse.

Além dos muitos trabalhos lançados como músicas gravadas pelo Boi Pirilampo, Dircy Rocha , Célia Sampaio, Gildomar Marinho e outros artistas, o cantor está planejando outras obras musicais, como o clipe “Janelas”, que ainda será gravado com os estudantes do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema), e dirigido pelo professor Emilson Ferreira de Souza. Outra música que está sendo gravada é “13 de maio” que conta com a participação de Doegenes Soares, em homenagem ao Festival Ginga Zé Macaco, na cidade de Pinheiro.

No começo deste ano o cantor foi convidado para participar do projeto Rico Choro, com outros nomes da música maranhense. Que vai ao ar nos dias de 5 a 7 de fevereiro.

Assita ao vídeo:

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.