ENCERRAMENTO

Grupo Galpão Encerra 13ª Semana do Teatro no Maranhão

Além do espetáculo, a noite de encerramento também contará com cerimônia de homenagem oficial e a premiação da Mostra Competitiva
Imirante.com24/11/2018 às 13h59
Grupo Galpão Encerra 13ª Semana do Teatro no MaranhãoO espetáculo ocorre no domingo (25) às 19h, no Teatro Arthur Azevedo (Divulgação)

SÃO LUÍS - A música sempre foi parte fundamental do teatro do Grupo Galpão. Espetáculos permeados por canções que acabaram se transformando em clássicos ao longo dos mais de 35 anos de trajetória do grupo e inspiram a criação do sarau literário musical “De Tempo Somos”, que encerra com maestria a 13ª Semana do Teatro no Maranhão no próximo domingo (25), às 19h, no Teatro Arthur Azevedo.

Uma cantoria de atores à beira do rio, em noite de lua cheia, durante uma das inúmeras turnês da companhia pelo Vale do Jequitinhonha, foi inspiração para experimento do Grupo Galpão. Com direção de Lydia Del Picchia e Simone Ordones e patrocínio da Petrobras, “De Tempo Somos” propõe um novo formato de espetáculo, lançando aos atores do grupo o desafio de se reinventar, em cena e na relação com o público, a quem são dedicadas algumas das canções.

Com direção musical e arranjos de Luiz Rocha, os atores cantam e executam, ao vivo, 25 canções de trabalhos mais antigos como “Corra enquanto é tempo” (1988) e “Álbum de Família” (1990); passando também por “Romeu e Julieta” (1992), “Um Moliére Imaginário” (1997) e “Partido” (1999), chegando até a espetáculos mais recentes como “Tio Vânia” e “Eclipse” (ambos de 2011), além de músicas que surgiram em workshops internos e que chegam a público pela primeira vez. “A cantoria é a celebração do encontro, da festa, da disposição para seguir em frente (apesar de tudo que nos faz pender para o chão!), do espírito libertário e contestador inerente a toda reunião festiva”, explica Lydia Del Picchia.

A cantoria vem acompanhada de textos, escolhidos por Eduardo Moreira e Lydia Del Picchia, que falam da passagem do tempo e do estado de embriaguez e liberdade que é inerente à criação artística. Reflexões e poemas de Eduardo Galeano, Anton Tchékhov, Olga Knipper, Calderón de la Barca, Charles Baudelaire, Manuel Bandeira, Nelson Rodrigues, Jack Kerouac, Paulo Leminski e José Saramago compõem esse caleidoscópio em que os atores do Galpão compartilham, com o público, suas indagações e vivências artísticas.

Para o coordenador geral da Semana do Teatro no Maranhão e diretor do Teatro Arthur Azevedo, Celso Brandão, o espetáculo acrescenta uma enorme bagagem ao evento que chega à sua décima terceira edição. “Para o Festival, como para nosso Estado é fundamental ter grupos desse quilate do Grupo Galpão, sobre tudo esse espetáculo que caminha pela história musical do grupo. Cumprimos também a função de trazer entretenimento de qualidade para nossa gente que não tem em sua maioria condições de viajar para conhecer esses trabalhos em outros Estados, e o que é melhor, intercambio de forma gratuita”, comenta.

13ª Semana do Teatro

Também no domingo (25), a Semana do Teatro apresenta uma grande cerimônia em homenagem ao ator, diretor teatral e arte educador Josué da Luz. O último dia do festival será marcado também pela premiação da primeira Mostra Competitiva, que irá premiar com o Troféu Apolônia Pinto dentre os artistas, grupos e espetáculos da programação os destaques em categorias como melhor espetáculo, direção, texto, ator e atriz, figurino, caracterização, iluminação, sonoplastia e cenografia.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.