Danças

Conheça a história dos ritmos dançados no São João de SL

Cacuriá é uma das danças que representam a sensualidade e beleza no São João.
Imirante.com28/06/2017 às 14h04

SÃO LUÍS - Estamos no fim das comemorações juninas, mas nunca é tarde para entender o significado de cada dança. Pontuaremos os mais populares nos arraiais de São Luís.

Cacuriá

O cacuriá é uma dança nova, não tem mais de 40 anos e, a principio, se apresentava exclusivamente nas festas do Divino Espírito Santo. O desdobramento da história do cacuriá vai além do que popularmente é conhecido. A dança tem inicio originalmente, no dia de Pentecostes, com o intuito de celebrar o dia em que o Espírito Santo desce sobre os doze apóstolos.

Apesar de ter um teor cristão historicamente, hoje a dança abre espaço espaços para outros ritmos como o tambor de Crioula e o Carimbó. Nos arraias de São Luís a dança é apresentada de forma sensual e convidativa, o ritmo é dançado entre casais e só demonstra o entrosamento que eles têm.

Já os adereços, para as mulheres, são saias longas e floridas e, para os homens, as meias-calças, um colete e um chapéu.

Tambor de Crioula

O tambor de Crioula, conhecido principalmente pelo movimento da “umbigada”, apresenta uma dança exclusivamente dançada por mulheres. Os movimentos executados (umbigada) durante dança, demonstra para o público e para as demais dançarinas que, com esse movimento, elas então aptas para dançarem no meio do circulo.

O ritmo é marcado pela repetição dos cantos. A dança é levada por três tambores feitos de tronco, escavados a fogo, e quase tudo é feito manualmente. Além de ser uma dança cultural, ela busca pagar as promessas que os fieis fazem para o santos.

Bumba-Meu-Boi

O bumba-meu-boi é uma das danças mais populares de São Luís, que agrega várias histórias e tradições. No bumba boi, ainda o personagem do Pai Francisco é designado a satisfazer os desejo da sua mulher que estava grávida e tinha a vontade de comer a língua do boi e, para isso, ele tinha que matar o gado e retirar a língua.

Ciente da morte do bicho, o pai Francisco pede ajuda de pessoas influentes para ressuscitá-lo. Depois do pedido, o animal volta a viver e todos comemoram. Esse personagem é interpretado, no Bumba-Meu-Boi, pelo Pai Francisco junto da sua mulher, a Catirina.

O bumba-meu-boi tem varias representações em São Luís e se adapta conforme o ritmo e estilo de cada grupo.

Todos esses ritmos demonstram a beleza cultural de São Luís, além de ressaltar a sua riqueza histórica.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.