Sustentabilidade

Conheça a moda sustentável e saiba quais são os seus benefícios

A moda sustentável é baseada na preservação do meio ambiente.

Maria Fernanda Fontinhas / Na Mira

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h14
O consumo excessivo de roupas é prejudicial ao meio ambiente. (Foto: Divulgação)
O consumo excessivo de roupas é prejudicial ao meio ambiente. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - A indústria da moda é uma das maiores de todo o mundo, ela movimenta cerca de US$ 525 bilhões por ano e, além disso, cresce, em média 11,4% anualmente, sendo um dos segmentos mais importantes da economia mundial. O crescimento em massa da indústria têxtil se deu por volta do final dos anos 90, resultado do barateamento da mão de obra e da matéria prima de roupas e calçados.

O fast fashion ou, em português, moda rápida, é o estilo de consumo de vestimentas mais comum em todo o mundo atualmente. As lojas de departamento e o e-commerce, por exemplo, funcionam baseados na produção e venda constantes de novas roupas. Porém, apesar de ser um método que ajuda na circulação da economia, o fast fashion vem se tornado cada vez mais um inimigo da meio-ambiente.

A produção acelerada de peças de vestuário é responsável por até 10% de emissão de gás carbônico no mundo. Isso acontece porque alguns tecidos são derivados de combustíveis fósseis, aumentando a emissão de gases tóxicos no planeta. Além disso, com o aumento do consumo, aumenta também o descarte. No deserto do Atacama, no Chile, o 'Lixão da Moda', recebe, todos os anos, cerca de 39.000 toneladas de roupas que foram descartadas.

Imagem do 'Lixão da Moda', localizado no deserto do Atacama, no Chile. (Foto: Reprodução)
Imagem do 'Lixão da Moda', localizado no deserto do Atacama, no Chile. (Foto: Reprodução)

Em contrapartida, o chamado slow fashion, também conhecido como moda sustentável, veio para diminuir o impacto que a indústria têxtil vem causado no meio ambiente. A moda sustentável é baseada na preservação do meio ambiente em todas as suas etapas de produção e consumo, buscando, por exemplo, reduzir a quantidade de poluentes usados na fabricação dos produtos e minimizando a retirada de matérias-primas da natureza.

A produção no modo slow fashion, moda devagar, consideram a valorização maior da mão de obra de quem faz a peça, preços justos, durabilidade da peça e uma preocupação com o meio ambiente e descarte de resíduos e tecidos.

Quanto ao consumo, a escolha de comprar roupas e calçados em brechós e marcas focadas em moda sustentável, já faz toda a diferença. Foi sobre isso que o Na Mira foi conversar com a empresária e dona de brechó Brunna Silveira, confira:

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.