No TAA

Coreógrafa Deborah Colker fala sobre espetáculo 'Cura' que será apresentado neste fim de semana em São Luís

Espetáculo nasceu a partir de uma angustia pessoal de Colker.

Adriano Soares e André Nadler / Na Mira

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h53

SÃO LUÍS – O espetáculo ‘Cura’, da diretora e coreógrafa Deborah Colker, será apresentado neste fim de semana, no Teatro Arthur Azevedo, situado no Centro Histórico de São Luís, como parte da programação da 15ª Semana Maranhense de Dança. ‘Cura’ trata de ciência, fé, da luta para superar e aceitar limites, do enfrentamento da discriminação e do preconceito.

Ao Na Mira, Deborah Colker conta que o espetáculo surgiu a partir de uma angustia pessoal, que foi a busca de uma solução para a doença genética de Theo, neto da coreógrafa. A dramaturgia é do rabino Nilton Bonder e a trilha original é de Carlinhos Brown.

O projeto foi concebido por Deborah Colker em 2017, mas foi no ano seguinte, com a morte de Stephen Hawking, que encontrou o conceito. Embora acometido por uma doença degenerativa, a Esclerose lateral amiotrófica (ELA), o cientista britânico viveu até os 76 anos e se tornou um dos nomes mais importantes da história da física. Deborah percebeu que há outras formas de cura além das que a medicina possibilita.

“Quando foi diagnosticado, os médicos deram a Hawking três anos de vida. Ele viveu mais 50, criativos e iluminados. Entendi o que é a cura do que não tem cura”, explica Colker.

Ainda segundo a coreógrafa, há dores mostradas no palco, mas há esperança no final. Deborah diz que procurou preservar a alegria necessária à vida. Um ingrediente para isso foi a semana que passou em Moçambique, durante a preparação, quando conheceu pessoas que não perdiam a vontade de viver, apesar das muitas dificuldades.

Deborah incorporou ao espetáculo referências das três religiões monoteístas e elementos de culturas africanas, indígenas e orientais. Logo no início, conta-se a história de Obaluaê, orixá das doenças e das curas.

“A ponte entre fé e ciência me ajudou muito. Fui experimentar o invisível, a sabedoria do invisível” diz a coreógrafa.

O espetáculo 'Cura' será apresentado neste sábado (11) e domingo (12), no Teatro Arthur Azevedo.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.