Tributo

Lançamento de selo e exposição em homenagem a João do Vale

Evento ocorre nesta terça (22), 19h, no Teatro João do Vale (Praia Grande).

Na Mira

- Atualizada em 27/03/2022 às 12h01

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secma), realiza nesta terça-feira (22), às 19h, no foyer do Teatro João do Vale (Praia Grande), o Tributo a João do Vale. O evento contará com a exposição Nas Asas do Vento, apresentação teatral, um show na Praça Nauro Machado; e o lançamento do selo comemorativo dos 80 anos do Poeta do Povo, como ficou conhecido o músico, compositor e cantor maranhense João Batista do Vale, que nasceu no dia 11 de outubro de 1933.

As comemorações alusivas aos 80 anos de Joao Vale tiveram início no dia 11 deste mês em sua cidade natal: Pedreiras. No município, distante 270 km de São Luís, aconteceu um show com os cantores locais, numa realização da Associação dos Poetas de Pedreiras e da Prefeitura Municipal, com o apoio do Governo do Estado.

Conforme programação especial da Secretaria da Cultura, o Tributo a João Vale prossegue na próxima sexta-feira (25), à tarde, em Pedreiras. No Anfiteatro Dom Jacinto também ocorre o lançamento do selo e da exposição Nas Asas do Vento, e contará ainda com as apresentações do coral pedreirense João Menezes; da orquestra filarmônica do Ceará, Estrelas da Serra; e a premiação dos concursos de redação e artes plásticas.
As celebrações ao octogésimo aniversário de João do Vale terminam no dia 29 de outubro (terça-feira), às 19h, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho (Praia Grande), no Café Literário em Tributo a João Vale, com palestra e debates sobre a rica obra musical de um dos maiores compositores brasileiro.

Perfil

João do Vale gostava muito de música desde pequeno, mas logo teve de trabalhar para ajudar a família. Aos 13 anos foi para São Luís, onde participou do grupo de bumba meu boi Linda Noite. Depois começou sua viagem para o eixo sudeste-sul do país, chegando ao Rio de Janeiro em dezembro de 1950, onde se empregou como ajudante de pedreiro em Copacabana.

Desde então compôs dezenas de músicas gravadas, como Peba na pimenta, Pisa na fulô, Carcará, De Teresina a São Luís, Estrela Miúda, No pé do lajeiro, que lhe deram popularidade com gravações ao lado de Chico Buarque, Nara Leão, Tom Jobim, Gonzaguinha e Zé Ramalho, entre outros. Em 1994, Chico Buarque voltou a reverenciar o amigo, reunindo artistas para gravar o disco João Batista do Vale, Prêmio Sharp de melhor disco regional.
João do Vale morreu em São Luís, no dia 6 de dezembro de 1996, aos 63 anos. Em 2006 (décimo ano após sua morte) foi lançado o espetáculo musical João do Vale - o Poeta do Povo, peça de Maria Helena Künner, com direção musical de Marco Aurêh, baseada na biografia Pisa na fulô, mas não maltrata o Carcará, escrita por Márcio Paschoal.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.