Cultura maranhense

Museus e casas de cultura maranhenses oferecem programação on-line

As ações fazem parte do projeto Conexão Cultural.
Na Mira, com informações da assessoria29/07/2020 às 07h49
Museus e casas de cultura maranhenses oferecem programação <i>on-line</i>O Museu do Palácio dos Leões é um dos mais visitados no Estado. (Foto: reprodução)

MARANHÃO - Desde o começo de junho os museus e casas de cultura do Estado iniciaram a retomada gradual de suas atividades. Por enquanto as visitas são restritas à pesquisadores, previamente agendadas, em horário reduzido, das 14 às 18h, e com atendimento às regras de higienização.

Até que a situação se normalize por completo, os museus oferecem uma vasta programação pela internet, como exposições online, visitas virtuais, lives e outras iniciativas. As ações fazem parte do Conexão Cultural, criado durante a pandemia da Covid-19.

O Museu do Palácio dos Leões, um dos mais visitados no Estado, lançou a hashtag #meuacervopreferido por meio de vídeos informativos sobre diversas peças do seu acervo. Todo o conjunto de obras artísticas e curiosidades históricas sobre o Palácio podem ser conferidas pelas redes sociais.

O Museu de Arte Sacra oferece visitas online com mediadores que explicam detalhadamente as exposições de cada circuito de visitação. O museu conta com 13 espaços e um acervo com mais de 400 peças. Essas e outras iniciativas do museu estão disponíveis pela internet.

O Museu Histórico e Artístico realizou recentemente live sobre a Cafua das Mercês e o pelourinho de São Luís. O bate-papo contou com a participação dos historiadores Euges Lima e Diogo Guagliardo. Em sua última postagem o MHAM também oferece informações importantes sobre a sua coleção de azulejaria.

O museu da Fundação da Memória Republicana disponibiliza pela internet diversas obras de seu amplo acervo audiovisual, documental e bibliográfico, além de curiosidades e dicas de leitura.

Série documental

A série “Relatos’ do Centro de Pesquisa de História Natural e Arqueologia do Maranhão compartilha memórias importantes a partir de experiências vividas pelos seus frequentadores. Até agora já foram produzidos 16 episódios com depoimentos e diálogos entre professores, pesquisadores e estudantes sobre o trabalho etnológico, antropológico e paleontológico no Maranhão.

O Forte Santo Antônio lançou recentemente o podcast PodForte. No primeiro episódio o tema foi a fundação de São Luís. Outra novidade foram os wallpapers com imagens tanto do forte como do Museu da Imagem e do Som e que podem ser baixadas nos destaques do Instagram.

Muitas outras casas estão com atividades online. A Biblioteca Benedito Leite, a Casa Josué Montello, o Teatro Arthur Azevedo, a Escola de Música do Maranhão, o Arquivo Público, a Casa do Tambor de Crioula, a Casa do Maranhão foram umas das primeiras casas a lançar campanhas e vasto conteúdo pelas suas redes sociais.

No interior do Maranhão o Centro Cultural Engenho de Pindaré-Mirim, a Superintendência de Cultura de Imperatriz, o Museu Histórico de Alcântara, também oferecem programação virtual. Em maio deste ano foi lançado o documentário ‘Divino Maranhão’ em parceria com as casas do Divino e Museu de Alcântara.

Além do Instagram, plataforma mais utilizada, a Secretaria de Cultura mantém o canal no YouTube ‘Cultura do Maranhão’, onde estão disponíveis vídeos produzidos pelos mais de 600 artistas maranhenses participantes do Conexão Cultural, além das séries e documentários.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.