Saúde

Baixa imunidade - Especialista explica os principais sinais nas crianças

Dra. Patrícia Terrivel, pediatra neonatologista, fala sobre sinais, sintomas e métodos de prevenir a imunidade baixa em crianças

Na Mira, com informações da assessoria

- Atualizada em 27/09/2022 às 09h49
Baixa imunidade - Especialista explica os principais sinais nas crianças
Baixa imunidade - Especialista explica os principais sinais nas crianças (Foto: Divulgação)

BRASIL - Os bebês e crianças são muito vulneráveis no quesito saúde, pois o seu sistema imunológico ainda está em formação. A sua forma de defesa contra gripes, infecções, entre outras doenças é muito novo, sendo considerado até os quatro anos de idade imaturo. 

É na pré-adolescência, na maioria das vezes com 12 anos que se alcança a maturidade imunológica, mas cada indivíduo tem sua particularidade de desenvolvimento, isso sempre deve ser considerado.

O sistema imunológico serve para garantir a proteção ao nosso corpo, impedindo que ações negativas para a saúde de bactérias, vírus e fungos. Nesse momento o nosso corpo sinaliza enquanto se defende.

“É muito importante a família proteger a criança de situações de grande exposição, mas também é fundamental os contatos que farão o organismo ter uma ação de resposta contra invasores, e dessa forma, ir se moldando para maturidade imunológica”, comenta a pediatra Dra. Patrícia Terrível.

A profissional aponta as necessidades de cuidados e observações diárias para as famílias entenderem os sinais das crianças com baixa imunidade.

  • Oferecer uma alimentação colorida com legumes, frutas, verduras, proteínas, para atrair a atenção da criança. Além de ajudar no desenvolvimento físico colabora também no fortalecimento do sistema imunológico.
  • Seguir as recomendações do médico pediatra quanto à vacinação da criança, pois é fundamental para proteção individual e para o coletivo.
  • Recorrentes infecções como otites e pneumonias podem ser sinais de baixa imunidade, por isso o acompanhamento constante com pediatra é fundamental, assim poderá ser solicitado exames e determinar formas de tratamento.
  • A higiene constante das mãos e objetos que as crianças usam é importantíssima, visto que as crianças levam tudo à boca.

Dez situações em que acontece a baixa imunidade, são elas:

  • Duas ou mais pneumonias no último ano
  • Quatro ou mais novas otites no último ano
  • Estomatites de repetição ou monilíase, conhecida como sapinho
  • Abcessos de repetição ou ectima
  • Um episódio de infecção sistêmica grave (meningite, osteoartrite, septicemia)
  • Infecções intestinais de repetição/ diarréia
  • Asma grave, doença do colágeno ou doença autoimune
  • Efeito adverso ao BCG, ou infecção por micobactéria
  • Fenótipo clínico sugestivo de síndrome associada a imunodeficiência
  • Histórico familiar de imunodeficiência

Esses são só alguns métodos básicos para prever e prevenir a baixa imunidade nas crianças, a Dra. Patrícia Terrível destaca que as escolites são normais. “Não é preciso pânico, a coriza, tosse e resfriados de são consideradas normais e a média é de 10 a 12 vezes no primeiro ano escolar”, finaliza. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.