História e tradição

Série de vídeos sobre a Festa do Divino de Alcântara é lançada

A festa, que ocorre anualmente, precisou ser cancelada em 2020.
Na Mira, com informações da Secma10/05/2020 às 12h48
Série de vídeos sobre a Festa do Divino de Alcântara é lançadaO projeto faz parte da campanha Conexão Cultural, de incentivo às artes e cultura durante o distanciamento social. (Foto: divulgação)

MARANHÃO - A falta que vai fazer a Festa do Divino de Alcântara em 2020 será transformada em um rico registro das tradições que envolvem essa manifestação de fé e cultura secular. A Secretaria da Cultura (Secma), vai lançar uma série de cinco vídeos na Internet sobre a festa, que este ano foi cancelada em razão da pandemia do novo coronavírus.

O projeto faz parte da campanha Conexão Cultural, de incentivo às artes e cultura durante o distanciamento social, contemplando diversas expressões artísticas.

Os vídeos irão retratar a história, origem, curiosidades e personagens da Festa do Divino de Alcântara, além de conversas com as pessoas que participam do evento há muito tempo, como o mestre artesão e diretor da Casa do Divino, Antônio de Coló, os integrantes da família Menezes e sua relação com a festa há mais de 20 anos, as caixeiras, moradores da cidade, devotos e turistas.

Leia também: Festa do Divino de Alcântara é cancelada devido ao coronavírus

O primeiro vídeo será lançado ainda neste domingo (10), pelo canal do YouTube ‘Cultura do Maranhão’. Os demais episódios serão exibidos pelo Instagram @cultura.maranhão e YouTube.

Os três primeiros vídeos irão tratar da festa e da cidade de Alcântara, o quarto sobre a festa do Divino em São Luís, e o último mostrará a festa para além do Maranhão, a tradição que atravessou fronteira.

“A Festa do Divino de Alcântara é a maior festa religiosa do Estado, que agrega mais uma herança histórica nessa cidade património que tem por vocação o Turismo”, declarou Vanessa Leite, uma das idealizadoras do projeto.

“Além da impressionante devoção, a cidade é alimentada pela cadeia produtiva da festa que abrange lavoura, comércio, artesanato e culinária, num rico celeiro de mestres da cultura popular. É vir conhecer e se apaixonar!”, acrescentou Vanessa.

A Festa foi transferida para 2021, em razão da pandemia. Em geral, o evento é realizado no mês de maio ou junho, encerrando no domingo de Pentecostes.

A cada ano a cidade histórica de Alcântara abriga uma das maiores festas do Divino Espírito Santo do país, atraindo milhares de fiéis, admiradores e turistas. Com cortejos e rituais ricos em arte, figurino, canto e culinária, a festa é acima de tudo uma experiência de tradição e resistência da comunidade.

Os festejos reproduzem costumes de uma corte imperial, formada por crianças vestidas com roupas de época, usando trajes da corte de imperadores e mordomos. O Império é constituído por um Imperador ou Imperatriz, mordomos-régios e mordomos-mor, que se alternam a cada ciclo. Outro personagem muito conhecido são as caixeiras. Mulheres que tocam tambores e entoam cânticos, repetidos ou improvisados, em louvor ao Divino Espírito Santo.

Leia outras notícias em PortalNamira.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.