Afogamento

Pai e filha morrem abraçados ao tentar atravessar fronteira nos EUA

Óscar Alberto Martínez Ramírez, de 25 anos, e Valeria, de 23 meses, morreram afogados durante travessia do Rio Grande, na fronteira do México e Estados Unidos.
Imirante.com26/06/2019 às 16h27
Pai e filha morrem abraçados ao tentar atravessar fronteira nos EUAOs corpos de Óscar e o de sua filha Valeria. (Foto: Julia Le Duc/AP)

MUNDO - Nessa terça-feira (25), uma foto chocante foi divulgada registrou o momento em que um homem e sua filha, de quase dois anos, morreram afogados ao tentar atravessar o Rio Grande, na fronteira entre México e Estados Unidos. A criança estava com o braço em volta do pescoço do pai, sugerindo que ela estava agarrada a ele nos momentos finais da vida.

As duas vítimas foram identificadas. Os corpos de Óscar Alberto Martínez Ramírez, de 26 anos, e Valeria, de 1 ano e 11 meses foram encontrados na margem do rio próximo à cidade de Matamoro, no México, a apenas um quilômetro da fronteira com o Texas, nos Estados Unidos.

A esposa de Óscar, Tania Vanessa Ávalos, de 21 anos, mãe de Valeria, disse ao jornal mexicano "La Jornada", que a família chegou a cidade a Montamoros no domingo, com a esperança de solicitar asilo no país vizinho. De acordo com Tania, quando o marido percebeu que o processo demoraria mais do que o esperado, ele decidiu que deveriam atravessar a fronteira nadando.

A mulher relatou às autoridades locais que o marido cruzou primeiro o rio com a filha, e a deixou do lado americano. Ele então se virou para buscá-la, mas a garota entrou na água atrás dele. Quando foi salvá-la, a corrente levou os dois.

Nessa segunda-feira (24), as autoridades dissera que o governo mexicano enviou mais de 20 mil forças de segurança para suas fronteiras Sul e Norte, em uma tentativa de impedir a passagem de migrante não autorizados para os Estados Unidos.

Os especialistas em direitos humanos, defensores dos imigrantes e analistas de segurança alertaram que a mobilização pode levar os migrantes a buscarem rotas mais perigosas para chegar aos Estados Unidos.

Mesmo com a política linha-dura, centenas de milhares de migrantes continuam saindo da América Central e do resto do mundo em direção aos Estados Unidos. Alguns fogem de gangues que destroem seus vilarejos e matam sem piedade. Outros estão à procura de melhores condições econômicas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.