Segundo Ministério do Interior da Turquia

Tentativa de golpe: 30 governadores e 7.899 policiais são detidos na Turquia

Pelo menos 50 funcionários de alto escalão também foram afastados de seus cargos.
Agência Brasil*18/07/2016 às 07h33

MOSCOU - Trinta governadores e 7.899 policiais foram detidos depois da tentativa de golpe na Turquia, informou o Ministério do Interior do país. Pelo menos 50 funcionários de alto escalão também foram afastados de seus cargos. Anteriormente, a mídia turca anunciou que a corte nacional decidiu prender 41 dos 103 generais e almirantes detidos por tentativa de golpe.

Leia também:

Golpe de Estado na Turquia: Exército afirma que tomou o poder

Governo diz que derrotou tentativa de golpe e prendeu líderes na Turquia

Turquia afasta 2.745 juízes em todo país, após tentativa de golpe

Quase 200 pessoas morrem em tentativa de golpe; cinco generais são afastados

Nesta segunda-feira (18), um homem não identificado abriu fogo perto do Palácio da Justiça em Ancara. A mídia relata que não há vítimas e que o homem foi eliminado.

Tentativa de golpe

Na noite de sexta (15) durante uma tentativa de golpe militar na Turquia mais de 290 pessoas morreram e 1,44 mil ficaram feridas.

De acordo com o ministro da Justiça turco, Bekir Bozdag, após o fracasso do golpe, cerca de 6 mil pessoas foram presas.

Durante a noite, os envolvidos no golpe atacaram uma série de instalações em Ancara, inclusive o prédio do Estado-Maior, as sedes da polícia, do Ministério do Interior e o Parlamento.

Depois do apelo do presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, as ruas das principais cidades da Turquia foram tomadas por milhares de pessoas contrárias ao golpe militar.

Turquia

A Turquia é um país integrante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e um dos principais aliados dos Estados Unidos. A Otan é uma aliança política e militar que integra 28 países da América do Norte e Europa. Quase 100% da população turca se identifica como muçulmana.

A maior parte dos muçulmanos da Turquia são sunitas e professam a religião dentro de padrões moderados, ao contrário de outras nações muçulmanas, que seguem uma orientação fundamentalista. O presidente Erdogan, que também é muçulmano, tem dominado a cena política turca por mais de uma década.

*Com informações da Agência Sputnik Brasil.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.