Ouros, prata, dancinhas e homenagem ao avô: a estreia de Gabriel Araújo nas Paralimpíadas

Atleta brilha em Tóquio, esbanja simpatia nas comemorações e se emociona ao lembrar do avô, que faleceu recentemente. Nadador abre caminho para se tornar ídolo no desporto paralímpico
02/09/2021 às 11h30

Medalhas, dancinhas e muita emoção. A primeira participação de Gabriel Araújo em uma edição de Jogos Paralímpicos teve de tudo. Com dois ouros e uma prata na classe S2 (para atletas com deficiência física severa), o mineiro brilhou nas piscinas de Tóquio, esbanjou simpatia nas comemorações no pódio e se emocionou ao dedicar as medalhas e lembrar do avô, falecido recentemente.

Com apenas 19 anos, o atleta do Clube Bom Pastor, de Juiz de Fora, fez história no Japão e pede passagem como potencial ídolo do esporte paralímpco nacional, já de olho em Paris 2024.

Antes mesmo de chegar a Tóquio, o nadador já era considerado um dos favoritos a pódios nas Paralimpíadas. Com grandes resultados no ciclo paralímpico, incluindo cinco medalhas no Parapan de Lima, no Peru, em 2019, ele se credenciou como um dos principais atletas da delegação brasileira para as disputas na capital japonesa.

Gabrielzinho desembarcou na Terra do Sol Nascente na segunda semana de agosto e fez a aclimatação em Hamamatsu. Ao ge, na época, relatou a "sensação única" de disputar os Jogos Paralímpicos pela primeira vez.

Só que ele não fazia ideia do que estava por vir.

🥈 1ª medalha do Brasil em Tóquio

No dia 25 de agosto, o mineiro, nascido em Santa Luzia, criado em Corinto e que treina em Juiz de Fora, disputou os 100m costas e fez história. Ele conquistou a primeira medalha do Brasil nesta edição das Paralimpíadas, ao faturar a prata com a marca de 2min02s47.

Nas comemorações um misto de simpatia e emoção. No pódio, a alegria do brasileiro foi contagiante, ao dar a sambadinha e demonstrar a ginga e a felicidade do brasileiro ao colocar uma medalha paralímpica no peito (acompanhe no vídeo acima).

Após a cerimônia, durante entrevista, Gabrielzinho se emocionou ao lembrar do avô, falecido recentemente. O atleta dedicou a primeira medalha a ele (assista ao vídeo abaixo).

Com o pescoço "pesado", ele gravou vídeo ao lado do técnico Fábio Antunes, agradecendo ao carinho dos torcedores e alertando que mais medalhas viriam. E elas vieram, com cor diferente.

🥇 Gabrielzinho chega ao topo

No dia 29 de agosto, Gabriel Araújo caiu na piscina novamente, dessa vez para disputar os 200m livre. Favorito nas provas do nado costas, o mineiro surpreendeu, teve grande atuação e garantiu o ouro, com o tempo de 4min06s52. Mais festa e mais dancinha (veja abaixo).

Chamou atenção o fato de Gabrielzinho ter revezado os estilos, nadando parte da prova com a barriga para baixo e outro trecho com a barriga virada para cima.

🥇 Para fechar com chave de ouro

Na madrugada desta quinta-feira, 2 de setembro, Gabriel Araújo encerrou a participação dele nos Jogos. Mais uma vez, ele brilhou no Centro Aquático de Tóquio. Com o tempo de 53s96, ele subiu novamente ao lugar mais alto do pódio, conquistando o segundo ouro dele na competição (assista à prova no vídeo abaixo)

Aos 19 anos, Gabrielzinho participou pela primeira vez dos Jogos Paralímpicos. Depois da boa participação na estreia, o nadador tem o horizonte aberto pela frente para tentar melhorar as marcas visando Paris 2024 e a sequência da carreira.

© 2019 - Todos os direitos reservados.