Mariana Rios faz balanço da vida e diz que abraça sofrimentos: "Sofro, mas levanto"

A atriz, cantora e apresentadora fala sobre os aprendizados um ano após sua perda gestacional, reflete sobre saúde mental e os planos para a vida pós-pandemia
30/07/2021 às 10h21

Mariana Rios, 36 anos, passou por um turbilhão de emoções em meio à pandemia. Neste mês de julho, a atriz e cantora lembra que um ano se passou desde que engravidou e sofreu uma perda gestacional - e pouco depois terminou o noivado com Lucas Kalil. Apesar de tudo, ela fala sobre os aprendizados que vieram com as mudanças em sua vida e como usa as aguçadas habilidades de observação para processar todas as suas emoções e seguir em frente cada vez mais forte.

Thank you for watching

Em entrevista à Marie Claire, Mariana reflete sobre saúde mental, o desejo de ter um programa de viagens quando a vida voltar ao normal e lembra um episódio inusitado de sua vida - o 'crush' no ator Patrick Swayze (Dirty Dancing - Ritmo Quente, 1987, e Ghost - Do Outro Lado da Vida, 1990) que a levou para a terapia aos oito anos de idade. Confira abaixo:

MARIE CLAIRE No último ano, no meio da pandemia, você passou por lutas na vida pessoal que a marcaram bastante. Como seria um balanço desse período para você?
MARIANA RIOS Acho que ano passado potencializou uma mudança positiva em mim. Acredito que nada na vida acontece por acaso, mas precisamos ter muita inteligência emocional para saber que tudo passa. É assim que eu levo. O ano passado, para mim, foi um ano de uma grande transformação, que não vejo pelo lado negativo. Eu só agradeço porque, se estou passando por qualquer coisa, eu tenho oportunidade de crescer, de viver. Você precisa saber quem você é, o que você busca na sua vida. Porque, no final do dia, somos nós e a nossa cabeça, né? Busco me conhecer, mergulhar nos meus problemas e aprender com eles. Vou sofrer, mas o sofrimento serve para me levantar depois de uma queda.

MC Recentemente fez um ano que você perdeu o bebê. De lá para cá, como isso mudou você?
MR Para mim, a maior mudança aconteceu depois dessa perda. Porque realmente significou muito pra mim, descobri um novo amor. Imagina realmente ter o bebê? Acho que isso me deu mais entendimento, mais força para entender as coisas. Sabendo que, se eu passei por isso e tive força para acordar no dia seguinte, era hora de falar 'é isso e vamos lá, a vida continua'. A vida é uma montanha-russa e sou muito grata pelas pessoas que estão ao meu lado, por ter amadurecido com isso. Posso dizer que foi um aprendizado em todos os sentidos.

MC E de onde vem essa força, essa segurança toda?
MR Realmente não sei, mas desde criança é uma coisa inconsciente. Observo muito as pessoas, as situações, sabe? E eu acho que todos nós somos muito parecidos, ninguém é 100% bom, ninguém é 100% mau. Temos todos os sentimentos dentro da gente e é uma escolha o sentimento que você vai e optar por ter mais tempo no seu caminho. Sempre fiz terapia e acho que todo mundo deveria fazer.

MC Você disse no programa "Que História É Essa, Porchat?" que foi para a terapia aos oito anos por conta de um crush no ator Patrick Swayze. Foi aí que tudo começou?
MR Comecei a fazer terapia ali mesmo! Fiz um post no Instagram e acho que foi meu post mais comentado, tem 8.000 comentários das pessoas falando 'meu Deus, eu também!". Não dá. Eu morro de dó do que aconteceu com ele, ele era tudo mesmo. Sábado passado eu assisti "Ghost" e choro todas as vezes, devo ter assistindo umas 55 vezes. Eu amo.

MC Você foi para Salvador fotografar para a campanha da SClub. Como foi viajar e fotografar depois de vacinada?
MR É muito engraçado porque a gente estava falando sobre isso na viagem. Imagina quando abrir tudo? Quando abrir o mundo inteiro e você tiver opção de falar 'pra onde que eu vou?'. Tomar a vacina contra a covid foi um começo da sensação da liberdade, de pensar tudo que a gente passou nesse tempo, o que ainda estamos passando... Ninguém tem controle de nada e a única coisa que acho que nos pertence, de fato, é a nossa consciência. Nós passamos por um período muito difícil e que vai ficar para a história.

MC Após a pandemia, quais são seus maiores sonhos e projetos?
MR Nossa, eu acho que a sensação vai ser como um passarinho preso que se depara com a gaiola aberta. Vai ter um segundo ali pensando, pensando... mas na hora que voar, vai voar, voar, voar! Primeiro, não vejo a hora de retomar meus shows, eu amo estar no palco! Quero fazer viagens, palestras, conversar, olhar no olho das pessoas, estar junto. Olha, que acho que preciso ter um programa de viagem, amo viajar trabalhando. Por enquanto, gravei um projeto que é uma extensão do meu livro "Basta Sentir", que é o "Basta Sentir Deus". Já lancei quatro músicas, que são composições minhas, e logo lanço o terceiro clipe. Esse trabalho faz muito parte da minha verdade: eu rezo muito, fico muito em contato com Deus, com energia positiva, com o universo.

© 2019 - Todos os direitos reservados.