Coração Brasileiro

Morre Chico da Ladeira, mas fica imortalizado o poeta do samba maranhense

O compositor maranhense, autor de HAJA DEUS, morreu na madrugada desse sábado, aos 72 anos, vítima de falências múltiplas, em São Luís. O músico fazia parte da ala dos compositores da escola da Flor do Samba.
Pedro Sobrinho / Jornalista25/10/2020 às 14h47

O carnaval maranhense está de luto com a morte, aos 72 anos, do compositor CHICO DA LADEIRA, o autor, juntamente, com AUGUSTO TAMPINHA, do épico samba-enredo, HAJA DEUS, criada lá na década de 70.

Chico da Ladeira imortalizado na história do samba e da Cultura Popular do Maranhão. Foto: Suzana Fernandes

O músico fazia parte da ala dos compositores da escola de samba Flor do Samba. O compositor AUGUSTO TAMPINHA, com quem fez mais de 25 sambas, lembrou da parceria e disse que o poeta foi ao encontro de Deus. "Haja saudade", lamenta.

Como descreveu o poeta Celso Borges, em sua conta no Twitter, CHICO DA LADEIRA se foi e nunca se vai. Ele é um "mix" de boêmia, samba com a cadência maranhense, irreverência e a imponência dos grandes arquitetos da Música Brasileira, em que muitos são negligenciados em "mainstream" da música descartável da chamada indústria cultural de massa e por viver em um país de memória curta e com apagão.

Enfim, nem tudo na vida são flores. Em meio ao 'caos' histórico e natural da humanidade, eis o reconhecimento. E quem agradece é o autêntico samba e a FLOR DO SAMBA, escola originária do bairro do Desterro, localizada no Centro Histórico de São Luís, fundada por um grupo de pescadores em 11 de novembro de 1939, em que está registrado o seu grande legado.

HAJA DEUS, composta em 1979, é responsável pelo processo de modernização das Escolas de Samba na Ilha do Amor. É bom que se diga, toda esta inovação foi construída com originalidade, sensibilidade e a MARANHENSIDADE de um poeta popular de luxo: CHICO DA LADEIRA.

Leia outras notícias em mirantefm.com. Siga, também, a Mirante FM no Twitter, Instagram e curta nossa página no Facebook. Peça sua música por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99161-9696.

Mais notícias

© 2019 - Todos os direitos reservados.