ESPORTE

Júnior e Caio Ribeiro destacam o Troféu Mirante e serve como modelo para estados brasileiros

Os ex-jogadores e comentaristas do Grupo Globo conversaram sobre a importância da família na formação do atleta e também dos requisitos essenciais para que o mesmo consiga atingir a excelência na profissão.
Pedro Sobrinho/Jornalista 23/01/2020 às 23h31
Júnior e Caio Ribeiro conversam com Glaydson Botelho e Clóvis Cabalau. Foto: Paloma Pinheiro (Júnior e Caio Ribeiro)

Os ex-jogadores e comentaristas do grupo Globo, Júnior e Caio Ribeiro, participaram na manhã desta quinta-feira (23/1), do Jornal da Mira, na Mirante FM. Em conversa com Glaydson Botelho e Clóvis Cabalau, a dupla destacou a importância do Troféu Mirante Esporte para o atleta maranhense. Eles foram unânimes em dizer que o evento serve como referência, modelo para outros estados brasileiros.

Motivação

Júnior comparou o Troféu Mirante Esporte com o Bola de Prata, pela importância que as duas premiações representam para o esporte brasileiro.

- O Troféu Mirante Esporte é mais ou menos no futebol como é a Bola de Prata, um prêmio importante para o futebol. Agora, o Troféu Mirante Esporte é ainda mais importante pela visibilidade dos atletas de diversas modalidades, que não têm muita chance, pois abre portas para que eles possa, dar seguimento em suas carreiras - elogia.

Para Caio Ribeiro, seria importante que estados brasileiros tivessem o Troféu Mirante Esporte como referência. Ele falou do que representa o prêmio para a autoestima do atleta maranhense deixando-o orgulhoso e motivado, sem falar na possibilidade da parceria de grandes patrocinadores.

- Eu gostaria que todos os estados tivessem uma festa como uma festa que a TV Mirante esteja fazendo hoje à noite, porque passa a ser um objetivo do atleta. Hoje, talvez, seja o grande momento da temporada desses atletas. Você ser destaque na sua competição, na sua modalidade, significa que você está fazendo a diferença. Você está trilhando um caminho bacana. O que vai acontecer daqui pra frente são inúmeros fatôres que vão fazer o atleta chegar às Olimpíadas ou não. Eu acho que o Maranhão tem orgulho do que está fazendo. Estes atletas estão de parabéns pelas conquistas, pela visibilidade que vão atingir hoje à noite. Tomara que surjam grandes patrocinadores, aumente o entusiasmo, a motivação deles, para que gente tenha, não só três, porém, mais maranhenses representando o nosso País - destaca.

Conscientização

Júnior falou da importância da família na orientação do atleta. Ele elogiou o investimento feito no futebol na formação do atleta, independente da modalidade, para que ele possa desenvolver sua atividade esportiva com segurança e tranquilidade.

- O mais importante, independente da modalidade no qual se refere o esporte, sobretudo o esporte de equipe, o atleta tem que aprender a perder, ter disciplina e respeitar o companheiro de trabalho. No futebol esta garotada começa muito cedo. Aos 12 anos, já são vistos por clubes, empresários, agentes, olheiros. Naturalmente, amadurecem mais rápido do que se imagina. Essa garotada precisa receber uma orientação, que não seja apenas técnica, mas uma orientação familiar para que este atleta possa desenvolver todo seu talento com certa tranquilidade - recomenda.

Excelência

Ao ser questionado sobre a maior barreira para ser um atleta profissional nos dias atuais, Caio Prado foi categórico em dizer que para alcançar a excelência o atleta tem que romper com algumas práticas. Ele também destacou as oportunidades que o futebol oferece e lamenta, ainda, que os esportes olímpicos no Brasil encontrem falta de apoio o que acaba atrapalhando no desenvolvimento do atleta.

- O futebol tem muito mais visibilidade, mais estrutura, mais oportunidades para o atleta. Diferente do que acontece com os esportes olímpicos onde você tem que correr atrás do patrocínio. E através do patrocínio o atleta tem a possibilidade de disputar melhores competições ou de repente fazer intercâmbio para fora do País. Agora, em se tratando de um atleta de alta performance, de uma certa maneira, tem que se disponibilizar a fazer sacrifícios. Se você deseja ser diferente, estou falando de 1%, talvez nem isso, aqueles atletas de alta performance que conseguem se destacar, como é o caso da premiação do Troféu Mirante Esporte. Não basta só talento, entra aí o suor, transpiração, abrir mão do lado social, abrir mão da família, de ficar no fim de semana longe de todo mundo. A carreira de um jogador, de um atleta é curta. Para isso, você tem que manter o foco e estar disposto a sacríficios. Se você deseja chegar a algum lugar tem que ralar bastante - adverte.

Conversa Aberta

Júnior e Caio Ribeiro participaram na noite dessa quarta-feira (22/1), de Roda de Conversa, que contou com a participação do ex-atleta de tênis de Mesa, Hugo Hoyama, agora treinador da seleção brasileira. O evento aconteceu no Black Swam, na Cohama, e contou com as participações com atletas indicados ao Troféu Mirante Esporte, empresários e presidentes de federações, sob a coordenação do jornalista da TV Mirante, Giovanni Spinucci. A premiação do Troféu Mirante Esporte aconteceu na noite desta quinta-feira (23/1). no Teatro Artur Azevedo.

Leia outras notícias em mirantefm.com. Siga, também, a Mirante FM no Twitter, Instagram e curta nossa página no Facebook. Peça sua música por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99161-9696.

Mais notícias

© 2019 - Todos os direitos reservados.