Cultura Geek

"A primeira edição do On Pix foi marcada por tribos diversas", destaca Lucas Vieira

O jornalista elogiou a parceria com o Grupo Mirante, a equipe de trabalho e agradeceu o público. Ele garantiu uma 2ª versão em 2020.
Pedro Sobrinho / Jornalista03/06/2019 às 09h58
Jornalista Lucas Vieira faz mapeamento do On Pix (Divulgação)

No Plugado desse domingo (2/6), apresentado das 15h às 18h, por Pedro Sobrinho, na Mirante FM, o jornalista Lucas Vieira, do portal Imirante e idealizador e responsável pelo site Volts, fez um mapeamento do que foi a primeira edição do On Pix, em São Luís. O evento, que aconteceu no último dia 25 de maio, no Multicenter Sebrae, localizado no bairro do Calhau, reuniu uma legião de admiradores da cultura "geek", universo que abrange tecnologia, séries, filmes, Cosplayers e História em Quadrinhos (HQs).

Lucas Vieira disse que o On Pix se tornou uma realidade, graças, a parceria bem sucedida do Grupo Mirante com o Site de Entretenimento, Volts.

- Tudo que envolve cultura, entretenimento em São Luís é feito de forma independente, o artista tem que tirar dinheiro do próprio bolso. É assim em todas as áreas culturais e de entrenimento. O On Pix surgiu da parceria do Grupo Mirante com o Volts, um site que faz jornalismo de entretenimento, de cultura pop de maneira independente, feito por gente de São Luís. E o pessoal que trabalha jornalismo cultural, de entretenimento no site, tem contato com quadrinhistas, cantores, que comentavam a falta de um evento para reunir toda essa gama de artistas, e tornar isto uma vitrine para o movimento que já existe aqui na cidade. A gente do Volts tinha o projeto do On Pix e a Mirante estava a fim de conversar com este público. Portanto, unimos as forças para mobilizar a cidade - explica.

Sobre o sucesso e aceitação do evento, que contou com mais 2.500 pessoas, Lucas disse que as expectativas foram superadas por todas as pessoas envolvidas na organização. Ele aproveitou o espaço para agradecer e definir como o evento da família.

- Imaginamos um público e quando chegamos lá o público foi quase duas vezes maior do que a gente esperava. Era um público. Um evento da família. Pai levando os filhos, adolescentes, vovozinhas. Mais de 2.500 pessoas passaram pelo Multicente Sebrae, no dia 25 de maio, data em que se celebra o Dia do Orgulho Nerd. Estamos felizes com a recepção, o apoio que as pessoas deram ao ao evento. Este carinho não tem preço - comentou.

Desafios

Questionado sobre qual a nota que daria a primeira edição do On Pix, Lucas disse que seria nove devido os desafios para se materializar um evento dessa natureza. E dez para a equipe que trabalhou na formatação e realização da primeira versão.

- Pelo esforço, pela iniciativa da equipe na concretização do On Pix a nota é dez. Agora, fazendo uma análise crítica do evento dou nota nove. Fomos para primeira edição tentando entender o público. Já temos eventos semelhantes na cidade, mas ainda não tínhamos experimentado com um evento neste formato que foi o On Pix, para o público Nerd, Geek de modo geral, abraçando tantes vertentes. Não sabíamos o que esperar do público. A coisa fluiu e agora que a gente entende como foi a reação das pessoas, a gente começa a pensar coisas que podemos aprimorar, coisas que podemos melhorar, coisas que podemos acrescentar, coisas que podemos reduzir. Enfim, acho que a gente nunca vai conseguir dar um dez porque a gente vai estar sempre querendo fazer coisas novas - enfatiza.

Lucas adiantou e garantiu que a segunda edição do On Pix vai acontecer em 2020. Ele disse que a cultura geek é uma tendência que já existia e veio para ficar.

- Quando encerramos a primeira edição do On Pix, saímos de lá com a sensação da segunda edição. Cheguei a brincar dizendo: galera vamos dar uma pausa de uma semana pra se alimentar direito, dormir direito. Mas, já estamos pensando nos formatos, horário e dia do evento. Pode ser que no ano que vem a gente aumente os dias, pois a galera gostou. Pensamos em fazer no mês de maio, quando se celebra o Dia do Orgulho Nerd. O festival só tem a crescer até porque na Cultura Geek veio para ficar e não se pode negar o interesse do mercado nos produtos provenientes dessa cultura - complementa.

O que é o K-Pop e por que faz tanto sucesso?

Graças à popularização dos mangás e dos animes, a cultura japonesa virou febre no Brasil no início dos anos 2000, reunindo os chamados otakus (traduzida literalmente como “nerd”, a palavra é utilizada para identificar os aficionados por tudo que vem do Japão) em eventos como o Anime Friends.

Uma década depois, foi a vez de a Coreia deixar sua marca no Ocidente com o K-Pop, a nova febre entre os adolescentes brasileiros.

De acordo com Lucas, que indicou uma sequência musical no Plugado, esse fenômeno cresceu no Brasil em 2012 graças à popularização do hit do cantor PSY.

- A onda do k-pop começou a crescer no país em 2012 quando Gangnam Style se populariza. Antes disso, já tínhamos fãs do estilo coreano, festas e alguns shows direcionados ao público, porém após o hit, várias pessoas começaram a se interessar pela música coreana - explica.

A música chiclete, a superprodução dos videoclipes, as sempre presentes coreografias e até os looks dos integrantes de grupos como BTS (que esteve no Brasil recentemente) e Girls’ Generation, citados por Lucas Vieira, fizeram com que o termo fosse muito além da música, tornando-se um estilo de vida para pessoas que, além do apreço pela cultura, não possuem ligação alguma com o país asiático.

Leia outras notícias em mirantefm.com. Siga, também, a Mirante FM no Twitter, Instagram e curta nossa página no Facebook. Peça sua música por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99161-9696.

© 2019 - Todos os direitos reservados.