LBF 2022

Sampaio confirma favoritismo e vence o Sport por 68x33

A partida marcou o início do segundo turno da competição

Marcelo Rodrigues / Rádio Mirante AM

- Atualizada em 04/05/2022 às 07h48
Lê Lisboa em ação pelo Sampaio Basquete.
Lê Lisboa em ação pelo Sampaio Basquete. (João Marcos / Sampaio Basquete)

SÃO LUÍS - O Ginásio Costa Rodrigues foi o palco nesta terça-feira (03) de mais um duelo pela LBF 2022. Marcando o início do segundo turno da competição o Sampaio enfrentou o Sport/Glória do Goitá e confirmou o favoritismo vencendo o duelo pelo placar de 68x33. Esse foi o nono triunfo do time maranhense na LBF.

O jogo foi de um time só, o Sampaio Basquete dominou do início ao fim vencendo todos os quartos com ampla vantagem 1ºQ (14x5), 2ºQ (13x6), 3ºQ (14x11) e 4ºQ (27x11). Os destaques do lado maranhense foram a Lê Lisboa, eleita a MVP do jogo e cestinha com 20 pontos, Patty Teixeira com 18 pontos e Gabi Guimarães que foi dominante nos rebotes, anotando 18 para o Sampaio.

Já o Sport não esteve em uma boa noite, o Rubro Negro pernambucano acumulou sua sétima derrota na LBF. O técnico Roberto Dornelas reconheceu o desempenho ruim da equipe, mas também criticou a condição do ginásio.

“Foi um dos jogos mais feios que eu vi na liga nacional, das duas equipes e principalmente a minha que não veio jogar. É muito perigoso essa quadra aqui. A Liga tem que tomar uma atitude aqui para resolver de vez esse problema. Já são várias atletas que caem, que se machucam e realmente hoje a gente presenciou uma coisa aqui inadmissível. Essa quadra precisa ter uma solução”, disse Dornelas. 

O técnico do Sport também criticou a logística das equipes, especialmente para as do nordeste.

"A gente chega amanhã a Recife e na sexta já embarca novamente para mais dois jogos fora e coincidentemente isso acontece com o Sampaio. A liga tem que ver isso com mais respeito com as equipes do nordeste, que a gente não force tanto. Eu fiz uma viagem ontem Recife-São Luís, é uma hora, todo mundo sabe, tem voo direto, mas eu fiz uma viagem de cinco horas e meia e vou fazer de volta amanhã também.

Para Galego, técnico do Sampaio, o placar expressivo da Bolívia Querida esconde um jogo duro do Sport.

“Tranquilo só para quem está torcendo de fora. Foi um jogo duro. O Sport é um time experiente, a gente tem que respeitar uma jogadora como Casanova, Bárbara. A gente fez parecer fácil para a torcida, mas não foi, porque defendemos muito bem. No ataque, pisamos na bola as vezes, erramos algumas coisas, mas nunca paramos de correr”.

Sobre a questão da quadra, Rodrigo Galego destacou o empenho da diretoria em buscar uma solução o mais breve possível.

“A diretoria tá trabalhando em cima disso, comprou exaustores. A gente tem um estudo feito aqui sobre a questão da umidade. Quando o público chega, começa a escorregar. Eu estou confiando de que a diretoria vai fazer o trabalho dela”, destacou Galego.

O jogo diante do Sport também marcou o retorno da Ala/Armadora Tainá Paixão, campeã em 2019 com o Sampaio. Ela fez um estreia discreta, convertendo 8 pontos para o tricolor. 

Sobre reforços, a expectativa é que após os dois jogos fora de casa, contra o LSB (12 de maio) e Blumenau (14 de maio), o Sampaio já possa contar com a pivô Érika, a armadora Alana Gonçalo e a Ala/Pivô dinamarquesa Sofie Tryggedsson.  

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.