Ponto Final

Marcelo Tavares explica trabalho da Casa Civil na pandemia

O deputado estadual e secretário da Casa Civil tem trabalho com a liberação dos setores da economia.
Rádio Mirante AM02/09/2020 às 12h10

Na manhã desta quarta-feira (2), o deputado estadual que atualmente está como secretário da Casa Civil do Maranhão, Marcelo Tavares, em entrevista ao programa Ponto Final, com Jorge Aragão, explicou como tem funcionado a secretaria durante a pandemia do novo coronavírus.

"Nós temos feito na Casa Civil o controle de todo esse processo de abertura. Dos setores da economia e setores da cultura. Enfim, da vida social. Nesse cenário de pandemia é um cenário tão difícil que o mundo todo atravessa", disse.

Tavares também falou de um caso em específico, onde foi reclamada a liberação dos músicos para a realização de shows.

"Nesse caso específico, nós recebemos da Secretaria de Estado da Cultura uma proposta de protocolo que foi apresentada por essas pessoas, que depois reclamaram do próprio protocolo que apresentaram. E nós recebemos isso da Secretaria de Cultura. Com essa gradação, de primeiro dois músicos, depois quatro e depois um número, sem ser um número específico, uma abertura total do número de músicos. E como quase todos os setores nós decidimos acatar porque é uma proposta que vinha da classe diretamente afetada e nada melhor que você fazer um processo desses de abertura combinado com quem vai ter que oferecer condições sanitárias. Porque não adianta você fazer a norma sanitária de forma completamente isolada daquele setor, por exemplo bares e restaurantes. Eles têm que ser ouvidos, porque senão eles não vão conseguir cumprir aquelas normas sanitárias e aí você não resolve nada. Então a gente ouviu todos os setores e eu conversei com representantes de bares e restaurantes, com bufês. Esse setor da Cultura também além de ter ido ao secretário de Cultura, esteve comigo e recebi, expliquei tudo isso e lá tinha a proposta que nós recebemos deles e que nós acatamos. Só que lá tinha uma gradação de 15 dias, respeitadas as condições epidemiológicas. E nós fizemos isso no primeiro momento, liberamos dois e agora já estávamos trabalhando na abertura para quatro e posteriormente fazer a abertura da última etapa, que aí de fato libera todos os tipos de grupos musicais. E nós estamos fazendo rigorosamente dessa maneira", explicou.

Marcelo Tavares também explicou que apesar da Casa Civil decidir pela liberação ou não dos setores, o processo passa por outras secretarias.

"E a maneira como a gente tem feito, é preciso também que a gente explique, não é só a Casa Civil. A gente recebe um protocolo e a gente encaminha para a Vigilância Sanitária. Chega primeiro na Casa Civil vindo de uma secretaria afim ou da Secretaria de Indústria e Comércio, Secretaria da Cultura. A gente faz uma primeira análise para ver se não tem nenhuma coisa absurda absurda. Encaminhamos a Vigilância Sanitária. Aprovando, encaminha para a Secretaria de Saúde que tem um núcleo específico, um comitê que se reúne para aprovar. Aprovado nessas duas etapas. Esse protocolo volta à Casa Civil que é finalmente elabora uma portaria", concluiu.

Ouça a entrevista completa.

Leia outras notícias em miranteam.com. Siga, também, a Mirante AM no Twitter e curta nossa página no Facebook. Fale conosco por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99142-5060.

© 2019 - Todos os direitos reservados.