Ponto Final

Prefeito Francisco Nagib analisa dados da covid-19 em Codó

Durante entrevista, o prefeito também confirmou a realização do concurso público do município.
Rádio Mirante AM14/07/2020 às 12h05

Na manhã desta terça-feira (14) o Prefeito do Município de Codó, Francisco Nagib, foi o entrevistado do programa Ponto Final, da Rádio Mirante AM. Na oportunidade o chefe do executivo do município fez um balanço da situação atual de Codó em relação aos casos de coronavírus.

"Isso é uma realidade que todos os municípios estão vivendo. Codó foi uma cidade muito atingida pelo alto índice de contaminação. Nós temos exatamente em Codó 3.124 casos confirmados de covid, e nós tivemos o monitoramento aproximadamente de 7 mil 764 pessoas. Se a gente pensar que apenas 10% da população é sintomático, que sente o problema, nós podemos aqui falar, que praticamente 50 a 70 mil pessoas na cidade de Codó tenha tido contato com este vírus. Isso requer, primeiramente, atenção grande dos gestores por conta do serviço de saúde para não entrar em colapso, mas também na certeza de que mais rápido poderemos sair desta doença, porque a gente tem visto aqui duas formas de acabar com pandemia: com a chegada da vacina, que pelo que a gente percebe, a vacina não chegará ao Brasil até até dezembro, novembro. Acredito que o final do ano para início de 2021 chegaria a vacina do Covid-19 para ser utilizado na população; ou então há mais de 70 por cento da população ter contato com o vírus, então a gente acredita que com essa alta taxa de confirmados que tem em Codó, e uma baixa taxa de letalidade, porque o mais importante de tudo não é a população se contaminar, são os óbitos crescerem na cidade", disse Nagib.

Ainda sobre o número de óbitos durante a pandemia, Nagib afirmou que Codó é uma das cidades com a menor taxa de letalidade no Maranhão e atribuiu essa marca ao investimento feito na atenção básica da saúde no município.

"No caso também, a questão da ocupação hospitalar, que tem disponível de leito. Tudo isso é que o gestor precisa monitorar. Então Codó é uma das cidades do estado do Maranhão com menor taxa de letalidade. Nós estamos com 68 óbitos. Se eu pegar o valor da quantidade de confirmados positivado, com o número de óbitos a gente tem a menor taxa de letalidade, que é de 2.18, seguido do Estado do Maranhão com 2.51 e do Brasil de 3.86. Então essa guerra que a gente está vivendo acredito que nós vamos conseguir vencê ela. A gente teve um momento do pico dessa doença, o pico de mortalidade. Foi muito forte na nossa cidade. Mas a gente conseguiu através da atenção básica da saúde, investindo na atenção básica onde a gente ampliou o funcionamento da UBS, que antes era 8 horas de funcionamento, passamos para 12 horas de funcionamento. Isso fez com que a gente pudesse tratar o problema ainda na Unidade Básica de Saúde, ainda no início, porque com isso com esse tratamento no início a gente evitou as internações e evitou a taxa de ocupação hospitalar", acrescentou.

Sobre a taxa de ocupação dos hospitais, o prefeito disse que apenas cinco dos 45 leitos disponíveis na cidade estão ocupado, o que deixa Codó em um situação confortável em relação a ocupação hospitalar.

"Hoje no nosso município nós só temos apenas cinco pacientes internados de covid, onde nós temos uma capacidade para 45 leitos, ou seja, 11.36 % da nossa taxa de ocupação hospitalar. Nós temos 88% aí livre para futuros pacientes. Esperamos não precisar utilizar. Mas então, a gente acredita que conseguimos vencer esta ocupação hospitalar, conseguimos diminuir a ocupação hospitalar investindo na atenção básica, fazendo com que o paciente que estava com os primeiros sintomas ele pudesse tomar a medicação, já utilizasse os protocolos que a gente adotou que é Hidroxicloroquina, Azitromicina, Ivermectina, Vitamina C, Zinco. O município de muitos medicamentos para que pudesse, realmente, conseguir evitar a internação e o agravamento da saúde das pessoas", explicou.

Em relação ao fechamento do comércio, Franscico Nagib disse que esperou a cidade ter um grande número de contaminados para fazer esse decreto e ao perceber a lotação dos hospitais decretou o lockdown por 15 dias.

"Eu venho da iniciativa privada e eu tenho sempre usado muito bem isso. Que aconteceu? No início, 1º de abril foi confirmado o primeiro caso de covid-19 na cidade de Codó, e de lá para cá a gente percebeu que não adiantava fechar cidade imediato, senão não tinha caso e a gente sabia que ia chegar. Então nós adiamos esse fechamento nós deixamos a cidade aberta. A cidade começou a se contaminar muito rápido naquela época, as filas de banco, todo mundo injetando dinheiro. A Caixa Econômica colocando os auxílios emergenciais. Foram exatamente 40 milhões de reais injetados na cidade de Codó naquela época, hoje já bateu 80 milhões de reais no comércio. Então o comerciante doido para vender, o dinheiro circulando, as pessoas só alimento e medicamento, e isso fazia com que a pressão caísse em cima do gestor para não fechar o comércio. Eu não fechei. Esperei a cidade, um grande número se contaminar. Quando percebi que começou a encher o hospital de pacientes contaminados eu fechei. Aí apliquei uma espécie de um Lockdown de 15 dias. A gente ficou aproximadamente 40 a 50 dias fechado durante essa pandemia. Porque foi a hora que a gente precisava colocar as pessoas contaminadas em casa, para quebrar o ciclo de 14 dias, para que elas pudesse voltar para a rua sem contaminar ninguém. Aí foi onde nós conseguimos quebrar essa curva e nós não prejudicamos o comércio" disse Francisco Nagib.

Mesmo com o lockdown e o fechamento do comércio não essencial, Nagib disse que isso não afetou a economia do município.

"Nós só colocamos 50 dias de fechamento do comércio não essencial, e com isso a cidade toda não foi afetada na economia, porque quando eu abri todo mundo começou a vender, o povo estava com o dinheiro para gastar. Sinceramente, não tem mais celular para vender na cidade, não tem mais cimento para se comprar, a cidade está em pleno canteiro de obras, as pessoas felizes as pessoas retomando suas atividades. E a gente fazendo o protocolo inicial. Sentiu sintoma? Toma remédio para não chegar no hospital precisando de UTI, para não chegar no hospital precisando de cuidados intensivos. E aí a gente sentiu que os dados estão ai, o Caged mostrou Codó é o segundo município no estado do Maranhão que tem um crescimento na geração de emprego e renda e dentro do Estado do Maranhão, dentro do nordeste, nós estamos na colocação do 18º lugar. Então assim, isso mostra, que não só aquele fechamento, que é quando você fecha muito, você acaba evitando a cidade de sair um dia dessa pandemia. Por exemplo, cito aqui Teresina no Piauí. O Piauí está muito fechado. O Piauí fechou muito, ainda está segurando os casos. Quando abrir vai contaminar. Então vai chegar um momento que quando abri agora praticamente 40 por cento do mercado não vai voltar a funcionar normal, vai pedir falência. Então não é bem isso, a gente tem que entender que o vírus é prioridade, cuidar da saúde das pessoas, mas também qual é a consequência após esse vírus? Quantas pessoas em Codó eu estava evitando de entrar em depressão e querem fazer suicídio? De bater na mulher em casa? Esse tempo todo em casa, imagina? Então a gente teve que saber dosar essa situação e a sociedade passou a usar máscara, utilizou sempre o álcool em gel e conseguiu se conscientizar. Com uma parcela de contribuição fundamental para a gente ter realmente essa situação da pandemia controlada", explicou.

Na oportunidade, o prefeito também anunciou a realização de um concurso público e deu mais detalhes do certame.

"Confirmado o concurso público em Codó, isso era um compromisso meu de campanha em 2016, em 2018 quis fazer o concurso deu um problema na licitação o Ministério Público recomendou e eu fiz questão de cancelar esse concurso e imediatamente conseguimos agora finalizar. Eu sei que nós estamos na pandemia e nos colocamos à prova do concurso. é um pouco mais distante para o mês de outubro mas as inscrições já começaram. As inscrições para o concurso já está já está acontecendo. Posso até passar rápido e dizer que é do dia 13 de julho. Ontem 13 de julho até 17 de agosto concurso o povo na cidade de Codó. Quem tiver interessado no edital no site do município que é codo.ma.gov.br. São exatamente 115 vagas sendo delas 83 vagas para o curso nível superior e 30 duas vagas para curso nível médio e salário de até 4 mil 329 reais e 24 centavos ou seja 4 mil 329 reais. Um servidor de curso superior vai receber na cidade Codó como um efetivo então já muitas pessoas de fora, do Piauí e Maranhão todo aqui está está fazendo essas inscrições e é muito importante, muito importante porque em pleno em pleno momento de recessão do Brasil, a gente vem crescendo, vem desenvolvendo, vem fazendo concurso, dando direito àquelas pessoas que realmente, os concurseiros aquelas pessoas que realmente gostam de ter a sua estabilidade de trabalho financeira têm a oportunidade de contribuir com o município", concluiu.

Ouça a entrevista completa.

Leia outras notícias em miranteam.com. Siga, também, a Mirante AM no Twitter e curta nossa página no Facebook. Fale conosco por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99142-5060.

© 2019 - Todos os direitos reservados.