Ponto Final

Roberto Costa quer ''nova geração'' no comando do MDB

Deputado foi entrevistado no Ponto Final por Roberto Fernandes
Rádio Mirante AM22/11/2018 às 09h48

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) foi o entrevistado desta quinta-feira (22), no Ponto Final por Roberto Fernandes, na Rádio Mirante AM. Reeleito para o quarto mandato com 35.214 votos, Roberto Costa disse ter enfrentado a sua eleição mais difícil.

“Essa foi a eleição mais difícil que eu já enfrentei. Além da minha eleição tivemos a questão muito difícil e a luta para que ocorresse nova eleição em Bacabal que me afastou das bases políticas, nós tivemos que reconstruir todo o nosso trabalho em São Luís e em vários municípios do Maranhão. Foi uma eleição complicada, mas tivemos uma luta muito grande e povo reconheceu o nosso trabalho”, afirmou.

Roberto Costa disse que enfrentou muita dificuldade na eleição de Edivan Brandão em Bacabal, mas que a população da cidade escolheu o candidato mais humilde para administrar a cidade.

“Foi uma campanha humilde, limpa e que nosso candidato foi até chamado de liso, mas o povo dizia que queria mesmo era o liso”.

O deputado Roberto costa defendeu uma mudança no comando do MDB e disse que é necessário que o comando do partido venha a ser assumido por uma nova geração.

“Isso é uma discussão que tem sido a pauta principal no Maranhão. eu tenho defendido a tese de que o resultado das urnas foi um recado ao nosso partido que precisa urgentemente e neste processo eu me incluo, de quadros novos no país e no Maranhão não é diferente. O partido precisa fazer urgentemente uma mudança no comando partidário, no comando político e dar oportunidade a uma nova geração política. Eu tenho conversado com o senador João Alberto e nós temos bons nomes como Vitor Mendes, João Marcelo, Assis Júnior e o prefeito de Imperatriz Assis Filho. Eu defendo a renovação, mas também tenho a humildade de reconhecer que o MDB teve um papel fundamental na vida do povo maranhense. A governadora Roseana Sarney tem um papel fundamental no desenvolvimento do Maranhão e eu tenho clareza que ela foi a maior governadora que o estado já teve.”, explicou.

O parlamentar disse que mesmo o MDB sendo oposição ao governo Flávio Dino, disse que manterá uma oposição sem radicalismo na Assembleia.

“Eu tive desde o início da legislatura passada a minha posição e você sabe que o MDB é oposição ao governo Flávio Dino, mas existe a oposição com responsabilidade e sem radicalidade. Algumas propostas interessantes que eu inclusive defendia no governo Roseana eu mantive a minha posição. A nossa posição sempre foi de oposição, mas oposição equilibrada. Os que fizeram Oposição radical, o povo não reconheceu. Eu manterei a posição que o partido assumir. Eu acho que eu sou o único deputado de oposição dessa legislatura que não esteve no Palácio com o governador Flávio Dino”.

Roberto Costa defendeu que o governo Flávio Dino dê uma resposta convincente à população sobre a retirada dos recursos do FEPA. “Eu acho que o governo do Estado precisa dar uma resposta segura não apenas para a Assembleia, mas para a sociedade do Maranhão. O governo precisa dar uma resposta clara à população sobre o que aconteceu com o fundo dos aposentados que para mim é uma questão gravissíma. Eu defendo que a Assembleia Legislativa também apure essa situação porque não estamos falando de recursos do governo, mas sim da própria população”.

O deputado afirmou que a Lava Jato teve uma grande interferência na eleição nacional. “Eu acho que o que interferiu no processo político brasileiro não foi o governo de Temer. para mim o que interferiu foi a Lava Jato. Essa eleição foi feita sob o sentimento do escândalo de corrupção que foi mostrado pela Lava Jato. Não fosse isso o Bolsonaro jamais seria presidente. Eu até diria que se o Haddad não estivesse no PT seria o presidente da República. O Bolsonaro para mim foi resultado da revolta do povo brasileiro. A população achou o seguinte: vamos parar por aqui com quem está e pensar em alguém novo”.

Roberto Costa se disse à favor das emendas impositivas. “Hoje eu defendo as emendas impositivas. Antes eu era contra, mas hoje eu defendo a necessidade delas para que o Poder Legislativa possa garantir a sua autonomia. Hoje eu sou um defensor e se a Assembleia colocar em pauta eu serei à favor e estou muito seguro quanto a isso”.

O deputado disse que apoia o decreto “Escola Sem Partido” editado pelo governador Flávio Dino. “Eu sou muito tranquilo em relação a isso e eu defendo que a escola seja foco do debate político e eu digo isso que eu sempre fui um militante dentro da escola, mas é necessário garantir a manifestação de opinião a todos. Essas discussões são necessárias e a escola é o caminho inicial para a formação do cidadão. A família é fundamental, mas é na escola que você começa a adquirir conhecimento crítico”.

Roberto Costa disse também que ainda não vê ninguém em condições no momento de fazer o contraponto ao governador Flávio Dino na oposição. Ele apontou o senador eleito Weverton Rocha como eventual substituto do governador Flávio Dino dentro do seu grupo. E finalizou com preocupação ao analisar a postura do governador Flávio Dino em relação ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

“O governador Flávio Dino saiu fortalecido da eleição aqui no Maranhão e acho que ele tem a formação necessária para se apresentar como candidato a presidente. a aspiração dele é legítima, mas o momento é inadequado. O acirramento do governador com o presidente eleito não é bom para o Maranhão que depende muito do apoio do governo Federal. Será que esse posicionamento do governador Flávio Dino neste momento será bom para o Maranhão?”, finalizou.

Ouça a entrevista na íntegra.

Leia outras notícias em miranteam.com. Siga, também, a Mirante AM no Twitter e curta nossa página no Facebook. Fale conosco por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99142-5060.

© 2019 - Todos os direitos reservados.