Meio ambiente

Imesc mapeia áreas potenciais para implantação de aterros sanitários

Estudo contribuirá para as políticas públicas no que se refere ao correto descarte final dos resíduos sólidos
Imirante.com25/11/2021 às 10h30
Imesc mapeia áreas potenciais para implantação de aterros sanitários Trabalho traz metodologia de classificação de áreas aptas para construção de aterros no estado (Divulgação)

O Maranhão conta agora com um instrumento que contribuirá para as políticas públicas do estado no que se refere ao correto descarte final dos resíduos sólidos. Trata-se do “Mapeamento de áreas potenciais para implantação de aterros sanitários no estado do Maranhão”, estudo lançado pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) e a Secretaria do Estado de Programas Estratégicos (Sepe).

O trabalho traz metodologia de classificação de áreas aptas para construção de aterros no estado e a espacializa em quatro microrregiões de Saneamento: Norte, Sul, Centro-Leste e Noroeste Maranhense.

“Esse trabalho expõe os aspectos gerais dos aterros sanitários e dos resíduos sólidos, apresentando informações sobre a classificação, o gerenciamento e as vantagens que esses aterros trazem ao meio ambiente, bem como a correta gestão para o descarte final dos resíduos”, compartilha o presidente do Imesc, Dionatan Carvalho.

Um dos pontos principais da publicação é a identificação dos locais tecnicamente mais adequados para as construções dos aterros sanitários, o que visa contribuir para a correta aplicação de políticas públicas ligadas aos resíduos sólidos para o estado e também para os municípios. As informações contidas no estudo contribuem diretamente para a formação dos consórcios entre os 217 municípios maranhenses.

Ressalta-se que o aterro sanitário é um tratamento baseado em técnicas da engenharia de impermeabilização do solo, compactação e acumulação diária de resíduos, formulação de células, afim de evitar a proliferação de ratos, moscas, exalação de mau cheiro, contaminação dos lençóis freáticos e, consequentemente, o surgimento de doenças.

E que, de acordo com a legislação brasileira, o aterro sanitário é uma técnica ambientalmente correta, utilizada para disposição de resíduos sólidos urbanos no solo, uma vez que são utilizadas tecnologias que evitam a contaminação do solo, dos cursos d’água e ainda previne danos à saúde pública.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.