Prisão

Foragidos da Justiça são presos por praticar saidinhas bancárias em São Luís

Wellington Neves e Leonardo Jardim possuem um vasto histórico de crimes patrimoniais, de acordo com a Seic.
Imirante.com08/05/2019 às 18h29
Foragidos da Justiça são presos por praticar saidinhas bancárias em São LuísPrisões foram realizadas pelas polícias do Maranhão e do Pará. (Divulgação / Polícia Civil)

SÃO LUÍS – A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) e do Departamento de Combate ao Roubo a Instituições Financeiras (DCRIF), efetuou a prisão em flagrante de Wellington Robson dos Santos Neves, o “Porco”, de 32 anos, e Leonardo Oliveira Jardim, de 23 anos, que são foragidos da Justiça e acusados da prática de “saidinhas bancárias”. A operação contou com a colaboração da Polícia Civil do Pará.

As investigações da Seic davam conta de que Leonardo Jardim estava vindo de Belém a São Luís, com o objetivo de praticar saidinhas bancárias. Com essa informação, equipes policiais foram deslocadas para ficar em pontos estratégicos da capital maranhense. Na tarde de quarta-feira (7), a equipe que estava no Terminal de Ferry Boat identificou e efetuou a prisão de Leonardo, que apresentou uma CNH com o nome falso de Lucas Santos durante a abordagem policial.

Depois disso, os policiais se deslocaram até a residência de Wellington Neves, em um condomínio residencial na cidade de Paço do Lumiar. Na ocasião, o acusado utilizou como identificação uma CNH falsa com o nome de Marconi. Após prenderem Wellington em flagrante, os policiais fizeram buscas na residência e encontraram dois revólveres municiados, um de calibre .38 e outro de calibre .32. Wellington confessou a propriedade das armas de fogo e a utilização delas na prática de saidinhas bancárias.

Além disso, Wellington Neves confirmou participação em duas saidinhas bancárias, sendo uma delas em março, quando subtraiu R$ 27 mil de um homem em uma agência bancária no bairro do Renascença, e a outra em abril, nas imediações da Avenida Guajajaras, quando foram subtraídos R$ 5 mil da vítima.

A Seic destaca ainda que Wellington Neves e Leonardo Jardim possuem um vasto histórico de crimes patrimoniais, como roubos e furtos. Após os procedimentos legais, os suspeitos foram encaminhados para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficarão à disposição do Poder Judiciário.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.