Maranhão

Após acordo judicial, greve dos médicos é suspensa no Maranhão

A principal reclamação da categoria é o atraso de dois meses de salário; um grupo de trabalho para apontar problemas na Saúde também foi montado.
Imirante.com03/12/2018 às 15h22
Após acordo judicial, greve dos médicos é suspensa no Maranhãoconciliação médico

SÃO LUÍS - Nesta segunda-feira (3), um novo acordo entre médicos e Governo do Maranhão foi firmado para que a categoria não paralisasse mais suas atividades. Um acordo com o mesmo objetivo já havia sido feito anteriormente, porém foi descumprido pelos profissionais que entraram em greve alegando atraso nos salários de cerca de mil médicos há dois meses. A audiência de conciliação foi feita no Fórum Desembargador Sarney Costa, em São Luís.

Como negociação, dos dois meses de salários atrasados, um foi pago na última sexta-feira (30), referente ao mês de setembro. A previsão é de que o pagamento referente ao mês de outubro seja feito até a próxima sexta-feira (7). Os salários de novembro e dezembro devem ser repassados normalmente, segundo o acordo firmado com o governo.

Além do pagamento dos salários, o acordo também incluiu a criação de um grupo de trabalho para diagnosticar os principais problemas na rede de saúde pública estadual e apontar soluções que beneficiem médicos e população.

A partir de agora, a Secretaria de Estado da Saúde deverá apresentar, em até 15 dias, informações sobre as receitas e despesas com serviços de saúde na rede hospitalar. Sobre o grupo de trabalho, os participantes deverão se manifestar até 23 de janeiro, para que, na data, seja realizada a primeira reunião.

Liminar

Em função do acordo desta segunda-feira, o juiz Douglas de Melo Martins revogou a liminar concedida na última sexta-feira (30), onde havia deferido o pedido de tutela de urgência do Estado do Maranhão, determinando que os médicos se abstivessem de paralisar suas atividades. De acordo com a liminar, eles deveriam continuar fornecendo os serviços médicos de forma regular e integral, em níveis satisfatórios e sem perda da qualidade do atendimento, sob pena de multa.

Caso Socorrão II

No início da tarde de ontem, a audiência referente ao Hospital de Urgência e Emergência Clementino Moura, o Socorrão II, desta vez de autoria do Ministério Público, contra o Município de São Luís, também resultou em conciliação. Neste caso, ficou acertado que o município de São Luís deverá reduzir gradativamente o.número de pacientes nos corredores do Hospital Socorrão II. Segundo dados da SEMUS, atualmente há 79 pacientes sendo atendidos nos corredores do hospital. A meta é reduzir 12 pacientes a cada mês, para que, até maio de 2019 esteja zerado.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.