Imunização

Mais de 134 mil animais foram imunizados contra a raiva em 2013

Com vacinação de casa em casa, número ficou maior que a média de anos anteriores, 80 mil.
O Estado29/01/2014 às 08h25

SÃO LUÍS - Dados da Vigilância Sanitária municipal apontam que 134.267 animais foram vacinados contra a raiva em São Luís, em 2013. Desses, 40.746 são gatos e 93.521, cachorros. De acordo com a superintendente do órgão, Teresinha Lobo, o número é bem maior do que anos anteriores, cuja média era de 80 mil animais vacinados. O aumento na estatística se deve principalmente à campanha realizada no segundo semestre, de setembro a novembro, onde os técnicos da secretária de saúde realizaram a vacinação de casa em casa.

Esse foi o primeiro ano em que esse tipo de campanha, de casa em casa, foi realizado e faz parte do plano de contingência para erradicação da raiva em São Luís, que prosseguirá até 2015. Nesse período serão realizadas pelo menos duas campanhas de vacinação por ano: uma em postos, no primeiro semestre, e outra domiciliar, no segundo.

"Realizamos essa primeira campanha casa a casa, visando imunizar o maior número de animais em decorrência dos casos de raiva que foram notificados no estado em 2011 e 2012, e em número menor em 2013. Com isso conseguimos praticamente visitar toda a população canina e felina de São Luís", afirmou a superintendente.

Além da vacinação, os agentes da Vigilância Sanitária ainda fizeram o bloqueio de focos de raiva em oito regiões da cidade, das quais em cinco foram comprovadas a incidência da doença em animais, mas não houve registro de casos em humanos. Os dados apontam uma queda de mais de 80% nos casos, já que em 2012 o Centro de Zoonoses de São Luís notificou 46 ocorrências.

Em todo o Maranhão, de 2005 até o fim do ano passado, 39 pessoas morreram vítimas de raiva. Em 2013 foram três óbitos: em São José de Ribamar, Humberto de Campos e Mirinzal. A Secretária Estadual de Saúde (SES) aponta pelo menos 15 municípios considerados prioritários no combate à raiva: São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa, Mirinzal, Humberto de Campos, Viana, Cajapió, São João Batista, São Vicente de Férrer, Barreirinhas, Caxias, Timon, Imperatriz e Açailândia.

Interdição - Em fevereiro de 2013, a Sociedade Beneficente para o Bem Estar e Proteção dos Animais do Maranhão Bicho Feliz ajuizou uma ação contra o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Luís, localizado no campus da Universidade Estadual do Maranhão

(Uema), alegando que os animais que eram recolhidos pelo órgão eram maltratados e mortos de forma cruel pelos funcionários. Na época, dezenas de filmagens de dentro dos canis do centro serviram de provas para a ação que culminou na interdição, em caráter liminar, do órgão. Em junho, a 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão revogou a liminar.

Para o desembargador Raimundo Barros, relator do processo, a captura dos animais que estão abandonados em via pública, para verificar se estão com raiva e leishmaniose, é razoável. Ele, porém, enfatizou que devem ser sacrificados somente os animais que tenham a doença devidamente comprovada por exames veterinários.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.