Educação

Maranhão é o sexto no ranking dos estados que realizaram maior número de conferências em escolas

Imirante, com informações da SEDUC13/10/2013 às 11h40

MARANHÃO - Com a realização de 1.160 conferências em escolas envolvendo mais de 26 mil alunos do ensino fundamental do 6º ao 9º ano, incluindo as escolas indígenas, quilombolas e assentamentos rurais, o Maranhão foi um dos estados que conseguiram maior mobilização da comunidade estudantil para a IV Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente.

O estado ocupa a 6ª posição no ranking dentre os que mais realizaram conferências em escolas. Os eventos integram a primeira etapa da Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, com a temática "Vamos Cuidar do Brasil com Escolas Sustentáveis".

O processo inclui, além das conferências em escolas, as conferências regionais, que aconteceram até esta sexta-feira (11), em todas as regiões do estado. Os projetos de ação selecionados nessas etapas foram indicados para a conferência estadual, que será realizada de 23 a 25 deste mês, em São Luís.

COM-VIDAS

Nas conferências anteriores, as escolas exercitaram sua capacidade de unir os desafios globais aos locais, definindo responsabilidades pessoais e coletivas para enfrentá-las, como explica André Leite Xavier, supervisor de Gestão e Monitoramento de Programas Especiais da Seduc.

"As comunidades escolares de todo o Estado assumiram responsabilidades em relação aos diversos temas ligados ao cotidiano, como o cuidado com as águas, os seres vivos, os alimentos, a energia, as mudanças climáticas. Como resultado dessas conferências, surgiram as Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola (COM-VIDAS), garantidas pela Lei nº 9.279/2010 que instituiu a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema Estadual de Educação Ambiental do Maranhão", detalhou André Leite.

De acordo com Lucy Mary Seguins Sotão, da coordenação da conferência no Maranhão, neste ano as escolas são convidadas e incentivadas a procurar respostas para as mudanças socioambientais globais, com um duplo desafio: "Os gestores e professores também são protagonistas desse processo, inserindo as temáticas em suas aulas, buscando interfaces entre as disciplinas e em espaços não disciplinares. O exercício coletivo de pensar novos hábitos e culturas na escola inspira a gestão a modificar práticas enraizadas", enfatizou.

A conferência auxiliará a COM-VIDA de cada escola a implementar os currículos, a gestão democrática e a modificar os espaços construídos, tornando-os coerentes com as premissas da sustentabilidade socioambiental.

Cidadania ambiental

A Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (Cnijma), realizada pelo Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental (MEC/MMA), é um instrumento voltado para o fortalecimento da cidadania ambiental nas escolas e nas comunidades a partir de uma educação crítica, participativa, democrática e transformadora. Trata-se de um processo dinâmico de encontros e diálogos nas escolas, para debater temas propostos, deliberar coletivamente e escolher os representantes que levarão as ideias para as etapas sucessivas.

A Cnijma pretende fornecer elementos para o debate nas escolas e propõe questões, tais como: o que é uma escola sustentável; quais valores, habilidades e atitudes são necessárias para que a escola contribua para melhorar a qualidade de vida presente e futuras gerações; como transformar a escola em um espaço vivo, acolhedor e motivador de ações e atitudes sintonizadas com a sustentabilidade socioambiental; como as edificações escolares podem estimular a inovação, a aprendizagem e o cuidado dos seres humanos entre si e com o meio em que vivem.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.