Viva em Cena capacita mais de dez mil pessoas no Maranhão

11/09/2002 às 19h00

O projeto Viva em Cena ofereceu neste ano 21 cursos profissionalizantes gratuitos em artes cênicas em mais de 200 municípios do Maranhão.

A primeira leva de cursos foi dirigida aos alunos do Viva Educação, em convênio firmado com a Fundação Roberto Marinho, Governo do Estado do Maranhão e Associação Teatro Arthur Azevedo.

O anúncio do projeto foi feito pelo então Vice-Governador, José Reinaldo Tavares, que disponibilizou cursos profissionalizantes gratuitos a toda comunidade maranhense através de uma política de prioridade máxima para justiça social. “O Viva em Cena é um instrumento de combate às desigualdades sociais em nossa terra”, declara o Diretor Geral do teatro Fernando Bicudo.

Os professores que participaram do curso foram distribuídos em 10 caravanas educacionais e cobriram um percurso por todo o interior do Maranhão de quase 80.000 mil quilômetros. “Um verdadeiro marco histórico, em se tratando da enorme carência nacional”, declarou a Diretora de Ensino da Fundação Roberto Marinho, Vilma Guimarães. Ela disse também que o projeto Viva em Cena é pioneiro em levar cursos profissionalizantes gratuitos em larga escala para o interior do país, por isso está inovando, e que esse projeto deve ser levado para outros Estados.

Na primeira edição do Viva em Cena foram diplomados dez mil cidadãos maranhenses, capacitando-os e dando-lhes perspectiva de futuro.

Seis desses profissionais estão estagiando no Teatro Arthur Azevedo e um já faz parte do quadro de funcionários do teatro. “O projeto Viva em Cena visa promover a justiça social em nosso Estado através da capacitação profissional democratizando e priorizando a cidadania com a valorização da cultura local, além de promover ainda o resgate da auto-estima das pessoas”, afirmou Fernando Bicudo. Ele disse também que o projeto é um poderoso instrumento que proporciona oportunidades para comunidade no mercado de trabalho.

Os 20 cursos oferecidos pelo Viva em Cena terão duração de dois a quatro meses, onde os alunos vão receber treinamentos práticos com todos os equipamentos e materiais necessários como apostilas e manuais técnicos. Além do curso de dança popular, onde serão ensinados movimentos de ciranda, maracatu, frevo, afro, coco, entre outros, o Viva em Cena vai oferecer cursos de marcenaria e pintura cenográfica, adereçaria, iluminação cênica, programação avançada para iluminação cênica, técnico de áudio, sonoplastia teatral, direção de montagem teatral, maquinista teatral, operação de câmera de vídeo profissional, operação para mesa de corte de imagem, edição de vídeo, computação avançada, curso básico de computação para casas de espetáculos, eletricista teatral, eletrônica, técnico em manutenção e engenharia teatral, produção cultural executiva e receptivo cultural. Segundo Fernando Bicudo, Idealizador e Diretor do Projeto Viva em Cena, os cursos vão continuar a serem oferecidos pelo Teatro Arthur Azevedo, seguindo um calendário muito bem organizado pela Associação do teatro.

Depois de São Luís, os 56 professores dos cursos, todos funcionários do Teatro Arthur Azevedo, partirão em caravana para 36 outras cidades do Maranhão. Durante quatro meses, período de duração dos cursos, todos os alunos receberão treinamento práticos com todos os equipamentos e materiais necessários, além de apostilas e manuais técnicos.

Como participar dos cursos:

Ter idade mínima de 16 anos (somente para os cursos de danças populares, pede-se o limite de idade de 30 anos). Para os demais cursos técnicos não tem limite de idade.

Os interessados devem se dirigir a Associação Teatro Arthur Azevedo localizado a Rua do Sol, 140 - ao lado do teatro. O inscrições começam das 9:00h da manhã e vão até as 21:00h.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.