Justiça

Justiça inicia mutirão de julgamentos em Itinga

Júriis são de réus em processos de crime contra a vida.
Imirante Imperatriz com informações da assessoria13/09/2016 às 17h10

ITINGA – Teve início nesta terça-feira (13) na comarca de Itinga, um mutirão para o julgamento de processos submetidos ao Tribunal do Júri Popular. Até o dia 21 de setembro serão realizadas sete sessões no auditório da Câmara Municipal da cidade sob a presidência da juíza Alessandra Lima Silva.

O primeiro processo levado ao Tribunal do Júri foi o que tem como réu Elizeu Rêgo, que responde pelo crime de homicídio simples, previsto no artigo 121 do Código Penal;

Na quarta (14), será a vez de Daniel Sousa ser julgado por tentativa de homicídio qualificado; Edvan Brito, acusado de matar a vítima Reinaldo de Souza com três disparos de arma de fogo, conforme atestou laudo cadavérico, será julgado no dia 15 de setembro.

Quem enfrenta o Tribunal do Júri na sexta-feira (16) é Reginaldo Santos, que também responde pelo crime de homicídio qualificado.

Já nos dias 19, 20 e 21 acontecem mais três júris. O primeiro, já na segunda-feira (19), Adriano Moura será julgado pela acusação de homicídio qualificado; No dia seguinte, Kelvi Sobrinho responde por tentativa de homicídio simples. Na terça, dia 21, Sidney do Nascimento será julgado por homicídio qualificado. Consta na denúncia oferecida pelo Ministério Público (MPMA), que no dia 22 de agosto de 2010, por volta de meia-noite, no Assentamento Ipaneminha, zona rural de Itinga, o acusado Sidney, sob efeito de álcool, disparou com uma espingarda contra desafetos em uma festa que ocorria no local, oportunidade em que atingiu mortalmente uma criança de apenas 9 anos de idade, que brincava na porta de casa ao lado da mãe.

Após a instrução processual, o MPMA, em alegações finais, requereu para o crime a qualificação descrita no inciso IV, do parágrafo 2º, do artigo 121 do CP.

Atuam nos júris a promotora de Justiça Nara Guimarães, e os advogados Maurício Nascimento, Claudemir da Silva e Leandro de Sousa.

O Tribunal do Júri Popular é formado por sete pessoas da sociedade para julgar processos sobre homicídio ou tentativa de homicídio.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.