Em Imperatriz

Cerca de 400 bares vistoriados no carnaval e quase mil denúncias de aglomeração

Segundo a prefeitura de Imperatriz, 60% das denúncias feitas pelo Disk Denúncia eram "fake".
Tátyna Viana/Imirante Imperatriz17/02/2021 às 18h10
O trabalho tem foco principalmente no combate a festas clandestinas, já que apresentações de artistas locais seguem proibidas. / Foto: Divulgação/Prefeitura de Imperatriz.

IMPERATRIZ - Uma semana antes do carnaval as equipes de fiscalização começaram a percorrer bares e casas de eventos em Imperatriz para garantir o cumprimento do decreto que proíbe festas carnavalescas até o próximo domingo (21). A fiscalização já passou por 18 bairros da cidade e percorreu cerca de 400 estabelecimentos. Os bares e restaurantes continuarão sendo vistoriados pelas equipes da prefeitura, Vigilância Sanitária, Secretaria de Meio Ambiente, de Planejamento Urbano, Defesa Civil e Secretaria de Trânsito, com o apoio do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar. As operações em pontos e horários estratégicos contam com 30 servidores por noite e um efetivo de 120 pessoas que se revezam na fiscalização.

O trabalho tem foco principalmente no combate a festas clandestinas, já que apresentações de artistas locais seguem proibidas. Apesar do alto número de denúncias e muitos trotes, o feriadão de carnaval foi considerado tranquilo. Até agora 16 estabelecimentos foram notificados, um deles foi fechado pelo Corpo de Bombeiros e 2 festas clandestinas foram encerradas.

O trabalho tem foco principalmente no combate a festas clandestinas, já que apresentações de artistas locais seguem proibidas. / Foto: Divulgação/Prefeitura de Imperatriz.

O serviço de Disk Denúncia teve um registro de 1.632 interações nesse período, com 987 denúncias, mas cerca de 60% foram consideradas “fake” após a vistoria, o que também acabou atrapalhando o trabalho com a disponibilidade de equipes para averiguar denúncias falsas. O secretário de governo, Eduardo Soares, diz que todas foram apuradas.

“As 40% de denúncias que de fato existiam não configuraram a desobediência das normas, a grande maioria eram moradores em suas residências, reclamações por barulho de som, a gente chegava e orientava, mas não se tratava de aglomeração de festa. Na segunda e terça-feira muitos bares ficaram fechados, o que colaborou com a fiscalização”, relatou Eduardo Soares.

A expectativa das autoridades, especialmente de saúde, é que a fiscalização possa refletir no registro de novos casos na cidade, com a queda nos números.

“Com a decisão dos sindicatos do comércio em fechar nesse período, mais de 50 mil trabalhadores deixaram de circular pela cidade. Por conta do ponto facultativo, quase 10 mil servidores também deixaram de circular pela cidade. Tudo contribuiu para uma semana calma em Imperatriz, nesse período atípico de pandemia”, reforçou o secretário de governo.

O último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da saúde contabilizou 51 novos casos registrados em Imperatriz. Duas mortes ocorreram nas últimas 24 horas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.