Especial transporte público

Movimento pelo Transporte Público vê projetos como risco à gratuidade

O MPTP vai avaliar as matérias que tramitam na Câmara em uma reunião esta semana.
João Rodrigues/ Imirante Imperatriz03/04/2017 às 19h09

IMPERATRIZ – O Movimento Pelo Transporte Público (MPTP), entidade sem fins lucrativos que defende melhorias para o setor do transporte coletivo em Imperatriz, vem acompanhando com preocupação as discussões na Câmara de Vereadores em torno da aprovação de uma ementa que propõe alteração à lei que criou o serviço de táxi e um projeto que cria o táxi-lotação. A entidade vai se reunir nesta semana para avaliar as matérias.

Integrante do movimento, Evandro Fernandes disse que a preocupação da entidade está relacionada as vagas de gratuidade no transporte coletivo.

“A gente continua reafirmando, e reafirma que o transporte coletivo seja estatizado, de maneira que o município venha garantir a qualidade desse serviço a todos os usuários. Enquanto ficamos à mercê das empresas privadas não teremos um transporte de qualidade e com essa aprovação aí e nossa preocupação é deixar de fora de circulação as pessoas com deficiência, aqueles que usufruem do direito da gratuidade”, afirmou Evandro Fernandes, que é cadeirante.

Sem citar diretamente as duas matérias em tramitação na Câmara, Evandro Fernandes adiantou que o transporte alternativo, em geral, não apresenta a acessibilidade.

“(...)E não há indicio nesses projetos de lei apresentados na Câmara que vai contemplar as pessoas com deficiências e os idosos, aquelas pessoas que tem direito a gratuidade”, arrematou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2018 - Todos os direitos reservados.