Justiça

MPF quer coibir atos de improbidade na Funai de Imperatriz

Foram feitas denúncias sobre possível desvio de finalidade em veículos oficiais.
Imirante Imperatriz, com informações da assessoria.13/07/2015 às 11h20

IMPERATRIZ – A Procuradoria da República no Município de Imperatriz (PRM-Imperatriz) recomendou à Coordenação Regional da Fundação Nacional do Índio (Funai) na cidade que sejam adotadas providências para fiscalizar os gastos em combustível e garantir a finalidade pública na utilização dos carros oficiais.

Caberá ao coordenador regional exercer o controle semanal e expedir certidão quanto à regularidade no abastecimento, por meio da conferência das atividades e respectivos documentos comprobatórios, que poderão ser requisitadas pela procuradoria.

A recomendação é resultado da instauração de um procedimento preparatório para apurar possíveis atos de improbidade administrativa cometida por servidores vinculados à Coordenação Regional da Funai de Imperatriz na aquisição irregular de combustível, assim também como no uso dos veículos oficiais.

De acordo com as investigações, foi comprovado o uso indevido de veículo oficial, quando um servidor se envolveu em um acidente fatal em junho de 2014. Em setembro do mesmo ano, outro caso similar aconteceu.

Com relação ao controle de abastecimento, também foram encontradas irregularidades por quase a totalidade dos servidores responsáveis, seja pela compra de combustível incompatível com a motorização dos veículos, seja pela quantidade de combustível em valor muito superior à capacidade dos tanques, o que pode configurar indício de comercialização indevida, pois esses abastecimentos eram realizados com frequência.

Visando defender o patrimônio público, a PRM propôs recomendação, visando a melhoria dos serviços públicos prestados pela Coordenação Regional da Funai em Imperatriz. Caso as recomendações não sejam atendidas, a procuradoria tomará providências por meio de Ação Civil Pública, ajuizamento de ação por ato de improbidade administrativa ou, ainda, de ação penal contra os responsáveis.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.