Rally dos Sertões

Com maranhense favorito, Sertões começa no dia 13

Maior rally das Américas, que terá piloto do Maranhão favorito nos quadriciclos, volta a fazer parte do calendário do Mundial FIM

Com informações da assessoria

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h02
Marcelo Medeiros é atual campeão e dono de quatro títulos do Sertões
Marcelo Medeiros é atual campeão e dono de quatro títulos do Sertões (Divulgação / Fotop )

SÃO LUÍS - Como maior rally das Américas, o Sertões, por si só, é um desafio único para quem o encara, pelas distâncias, variedade de terrenos e o nível técnico elevado. Para as motos e quadriciclos, a edição 2021 da prova, entre 13 e 22 de agosto, traz um tempero a mais: volta a valer pelo Mundial de Rally Cross-Country FIM depois de sete anos. Com isso, vencê-la será sinônimo de triunfo numa etapa do principal campeonato da modalidade. Nos 3.615km de percurso por sete estados do Nordeste, a promessa é de uma prova intensa e bastante técnica, exigindo da navegação e do equipamento. No total, são 65 Motos e 3 Quads na disputa. Nos quadriciclos, o maranhense Marcelo Medeiros é o grande favorito.

Se candidatos à vitória são vários, o favoritismo não pode fugir do vencedor de 2020. O catarinense Ricardo Martins (Yamaha IMS Rally Team) mostrou ser um piloto completo numa edição em que a chuva e a lama trouxeram condições complicadas para a caravana. Desta vez, no entanto, ele terá um rival à altura também no próprio time. Bastante experiente com resultados de destaque nas principais provas de rally cross-country, o francês Adrien Metge viu a participação no ano passado frustrada pelo diagnóstico positivo de Covid-19. Desta vez acelera para se tornar mais um estrangeiro a vencer a prova (o quarto depois de Cyril Despres, Marc Coma e Paulo Gonçalves).

A principal oposição às motos azuis vem das máquinas vermelhas da Honda. A equipe alinha três nomes capazes de levar na geral, a começar pelo maior vencedor da história do Sertões, Jean Azevedo (sete títulos). O gaúcho Gregório Caselani, melhor em 2016, está de volta, depois de uma lesão o tirar da edição 2020. E o paulista Júlio Zavatti, o Bissinho, mostrou em sua primeira chance com uma moto da principal categoria estar pronto para brigar pelo alto do pódio (vice-campeão ano passado).

Por falar em nome que ganha espaço na disputa, o também paulista Vítor Siqueira está de volta. No ano passado, em sua estreia, ele foi a revelação, com um ritmo consistente e sem erros. Foi bem além do primeiro objetivo, que era vencer na classe Maratona (que não permite a troca do motor e outros componentes) e concluiu o desafio como o terceiro melhor na geral.

categoria "Self by Motul"

Mais uma vez a categoria Self by Motul será uma atração à parte. Nela, os 11 inscritos são os únicos responsáveis pela manutenção das máquinas, num clima em que a camaradagem é tão grande quanto a rivalidade. Melhor em 2020, o mineiro Marco Antônio Pereira volta para buscar o bi, mas não terá facilidade.

Três mulheres alinham no pelotão. Moara Sacilotti larga para sua 22ª participação. Laura Lopes, da Guiana Francesa, está de volta, depois de completar a prova no ano passado. E Janaína Fagundes de Souza está inscrita na Self by Motul.

Quads

Nos quadriciclos, Marcelo Medeiros, atual campeão e dono de quatro títulos do Sertões terá pela frente dois dos maiores nomes da modalidade, o que promete um rally emocionante. Vencedor da prova em 2010 (quando também valia pelo Mundial), o polonês Rafal Sonik está de volta. E o campeão do Dakar 2021 também se junta à caravana. O argentino Manuel Andujar larga de Pipa em busca de uma vitória que tornaria sua temporada ainda mais impressionante.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.