Pan-americano

Brasil conquista duas medalhas de ouro na vela nos Jogos Pan-americanos

Patricia Freitas (RS:X feminina) e Marco Grael e Gabriel Borges (49er) subiram no topo do pódio. País ainda ganhou uma prata e um bronze.
Imirante Esporte, com informações do COB09/08/2019 às 21h45
Brasil conquista duas medalhas de ouro na vela nos Jogos Pan-americanosA regata da medalha da classe 49erFX, que conta com a dupla Martine Grael e Kahena Kunze, foi adiada para este sábado (dia 10). ( Foto; Jonne Roriz/COB)

LIMA - No primeiro dia de disputa das regatas da medalha, nos Jogos Pan-americanos de Lima, o Brasil fez bonito na vela. Nesta sexta-feira (dia 9), na Baía de Paracas, Patricia Freitas, na RS:X feminina, e Marco Grael e Gabriel Borges, na 49er, faturaram a medalha de ouro. Na Laser, Bruno Fontes conquistou a prata. E na Nacra 17, Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino ficaram com o bronze. A regata da medalha da classe 49erFX, que conta com a dupla Martine Grael e Kahena Kunze, foi adiada para este sábado (dia 10).

Na RS:X feminina, Patricia Freitas conquistou o tricampeonato nos Jogos Pan-americanos. Ela havia subido no topo do pódio em Guadalajara 2011 e Toronto 2015. Em Lima, a velejadora chegou com boa vantagem de pontos para as adversárias na regata decisiva e só precisava completar a prova para ficar com ouro. Mas ela não se contentou com isso e chegou em segundo. “Tricampeonato, que felicidade. E é bom ganhar podendo entrar relaxada na regata da medalha, com uma diferença de pontos confortável. É um alívio, menos estressante”, disse Patricia.

O outro ouro do dia veio com Marco e Gabriel, na 49er. Foi a primeira grande conquista da dupla. “É o primeiro campeonato expressivo que treinamos e velejamos muito bem e vencemos. Conseguimos fazer uma competição muito sólida, regata por regata e fomos abrindo uma boa diferença para os adversários”, disse Marco. “Eu ganhei meu primeiro ouro no Pan em Guadalajara 2011, no Snipe. Eu só tinha 19 anos, era o mais jovem da delegação da vela. Agora estou mais maduro e sabia que íamos brigar pela medalha”, afirmou Gabriel.

Na Laser, Bruno Fontes ficou com a medalha de prata. Ele chegou em terceiro na regata decisiva e garantiu seu lugar no pódio. Muito emocionado, o velejador anunciou sua aposentadoria e dedicou a medalha ao pai Fernando, que faleceu este ano. “Não comecei o campeonato tão bem, mas vinha acreditando que eu podia conquistar o ouro. São mais de 20 anos velejando de Laser, em Guadalajara 2011 eu perdi a prata numa regata parecida com essa. Momento especial e único. É o enredo final perfeito para mim”, afirmou Bruno.

Na Nacra 17, Samuel e Gabriela entraram na regata da medalha com o bronze garantido. A dupla tinha possibilidades de prata e ouro, mas acabou ficando com a terceira colocação no geral após um terceiro lugar na disputa decisiva. “Foi um dia difícil, de condições extremas. Mas estamos contentes, foi uma luta bonita com nossos rivais, que também estão no circuito olímpico. Isso mostra o nível de competição que tivemos aqui e agora já estamos pensando no evento-teste no Japão”, declarou Samuel.

Na RS:X masculina, Brenno Francioli chegou em terceiro na regata da medalha, terminando em quarto na classificação geral. Na Laser Radial, Gabriella Kidd chegou em oitavo na regata da medalha, encerrando sua participação na oitava posição no geral.

Neste sábado, serão realizadas as últimas regatas da medalha, a partir das 14h30 (de Brasília). As disputas começam com a 49erFX de Martine e Kahena e com a Lightning de Claudio Biekarck, Isabel Ficker e Gunnar Ficker. Depois seguem os brasileiros Bruno Lobo (Fórmula Kite), Juliana Duque e Rafael Martins (Snipe) e Matheus Dellagnelo (Sunfish).

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.