Time Brasil

Ginástica artística brasileira faz a melhor campanha da história em Jogos Pan-americanos

Com quatro ouros, quatro pratas e três bronzes, desempenho em Lima supera Rio 2007.
Imirante Esporte, com informações do COB31/07/2019 às 20h34
Ginástica artística brasileira faz a melhor campanha da história em Jogos Pan-americanosCom o fim da ginástica artística, modalidade que mais contribuiu para o quadro de medalhas do Brasil, o país soma agora 12 ouros, 10 pratas e 18 bronzes. ( Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

LIMA - O último dia de competições da ginástica artística em Lima 2019 reservou mais quatro medalhas ao Time Brasil: ouro com Francisco Barretto na barra fixa; prata com Arthur Nory na barra fixa; prata com Caio Souza nas barras paralelas; e bronze com Flávia Saraiva no solo. Com isso, o país fez a sua melhor campanha na história da modalidade em Jogos Pan-americanos: 11 medalhas, sendo 4 ouros, 4 pratas e 3 bronzes. Antes, o melhor resultado havia sido obtido no Rio 2007, com 4 ouros, 2 pratas e 5 bronzes. Um desempenho memorável.

“O saldo é extremamente positivo, fruto de um trabalho conjunto entre o COB, as Confederações, os clubes, a Caixa Econômica Federal, o Exército Brasileiro e a Bolsa Atleta. Todos conseguiram juntos uma harmonia de trabalho e possibilitar o crescimento da modalidade. Essa é a fórmula do sucesso da ginástica brasileira, que alcança uma posição de destaque no continente e no mundo”, disse Jorge Bichara, diretor de esportes do COB, que ainda complementou:

“É inegável que o masculino se destacou muito, mas precisamos falar também da superação feminina. Havíamos perdido a Rebeca Andrade, houve o problema da Jade Barbosa e, mesmo assim, a equipe se superou. Foi colocada à prova física e psicologicamente, mas demonstrou um alto nível de resultados”.

Com o fim da ginástica artística, modalidade que mais contribuiu para o quadro de medalhas do Brasil, o país soma agora 12 ouros, 10 pratas e 18 bronzes. Além das conquistas desta quinta, vieram ouros na equipe masculina, Francisco Barretto (cavalo com alças) e Caio Souza (individual geral); pratas com Arthur Nory (individual geral) e Arthur Zanetti (argolas); e bronzes com a equipe feminina e Flávia Saraiva (individual geral).

Os Jogos Pan-americanos foram encarados pela seleção de ginástica como uma preparação para o Campeonato Mundial, em Stuttgart (Alemanha), entre 4 e 13 de outubro, que é classificatória para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

“Estamos colhendo o fruto de um trabalho duro, a longo prazo. Viemos preparados para tentar uma série diferente, com um nível de dificuldade maior. Esse foi um grande teste para o Mundial, onde queremos trazer essa vaga olímpica para o Brasil”, afirmou Francisco Barretto, principal nome da equipe em Lima 2019, com três ouros.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.