Canoagem

Ana Sátila vence medalha de prata no Mundial de Canoagem

Quatro brasileiros disputaram a categoria não olímpica.
Imirante.com / com informações da assessoria01/10/2017 às 17h56
Ana Sátila vence medalha de prata no Mundial de CanoagemFoto: Divulgação.

PARIS - Ana Sátila entrou mais uma vez para a história da Canoagem Brasileira, neste domingo (01) ela conquistou sua segunda medalha no Mundial de Canoagem Slalom em Pau na França, agora uma de prata. A canoísta foi a única atleta feminina do evento a conquistar duas medalhas em provas individuais, na última sexta-feira (29) ela garantiu um bronze no C1 Feminino.

Hoje as competições em terras francesas foram dedicadas ao K1 Extremo, nova modalidade da Canoagem Slalom que está ganhando o gosto do público e pode vir a entrar no calendário olímpico. Quatro brasileiros disputaram a categoria não olímpica, Pedro Gonçalves e Charles Corrêa no masculino e as irmãs Ana Satila e Omira Estácia no feminino.

Satila teve um caminho longo antes de conquistar a medalha de prata na modalidade estreante em Mundiais, ao todo foram seis descidas entre classificatórias e eliminatórias. “Hoje estava um dia muito frio, passei quatro horas molhada me aquecendo e desaquecendo. Foi muito corrido, mas levar mais essa medalha não tem preço”, fala.

As finalistas ao lado de foram a alemã Caroline Trompeter que levou o ouro, a tcheca Amalie Hilgertova ficou com o bronze e a holandesa Martina Wegman que ficou em quarto lugar. A brasileira dedica a medalha para sua família e sua equipe. “Eles estão de longe assistindo essa maratona que tem sido o Campeonato Mundial e também a toda a minha equipe brasileira”, complementa.

Sua irmã Omira Estácia, que era a outra brasileira na prova, chegou até as quartas de finais e garantiu a 11ª posição. “Esses resultados acompanham todo um desempenho que iniciou em 2012 e 2016, a Canoagem Brasileira está mostrando isso, a Canoagem Slalom veio para ficar com as medalhas da Ana, a semifinal do Pepe. Tenho certeza que vamos a Tóquio brigar por medalha”, fala João Tomasini Schwertner, presidente da Confederação Brasileira de Canoagem.

Susto na semifinal

Durante a penúltima prova Ana Sátila pensou que havia perdido a classificação à final, a atleta olímpica chegou na terceira posição, mas a francesa Marie-Zelia Lafont, que liderava a prova teve a penalidade máxima e caiu para a terceira posição, em poucos minutos o seu nome apareceu no painel como finalista. “Foi uma prova muito forte, mas fiquei feliz em ter conseguido ir para a final”, esclarece.

Duas medalhas inéditas


Com duas medalhas ela termina o evento como a única atleta feminina a conquistar duas medalhas em provas individuais, na última quinta-feira (28), ela conquistou um bronze no C1 Feminino e hoje foi a vez da prata no K1 Extremo, nova categoria da Canoagem Slalom que também estreou em Mundiais neste ano.

A mineira de Iturama, criada até os 12 anos em Primavera do Leste – MT mudou-se para Foz do Iguaçu para crescer no esporte que tanto ama. Foi adotada pelo Instituto Meninos do Lago, a qual é federada atualmente, e em 2012 passou a integrar a Equipe Permanente de Canoagem Slalom.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.