Encerramento

Em clima de festa, Toronto se despede do Pan

Os Jogos Pan-Americanos 2015 estão oficialmente encerrados.
Gazeta Esportiva27/07/2015 às 15h13

TORONTO - O evento foi encerrado com animada cerimônia na noite deste domingo. Se o quadro de medalhas terminou com reafirmação da hegemonia estadunidense, segundo lugar histórico do Canadá e consolidação Brasil como terceira força, as apresentações no Estádio Rogers Centre, casa da equipe de basebol Toronto Blue Jays, trataram de unir culturas e promover descontração.

As disputas esportivas ainda retornarão à cidade canadense em agosto, quando os Jogos Parapan-Americanos serão realizados entre os dias 7 e 15. Além dessa contagem regressiva, também ficou no ar a expectativa para a realização do próximo Pan, na cidade peruana de Lima, em 2019.

Tecnológica como abertura, a cerimônia de encerramento contou com muitas luzes, painéis e música eletrônica. Destaque também para a participação de mil dos cerca de 23 mil voluntários que participaram da organização do evento. A solenidade foi iniciada com execução do hino nacional canadense, enquanto todas as luzes focavam autoridades políticas de diferentes níveis nas tribunas. Em seguida, a trilha sonora ficou por conta remixes animados de ritmos americanos para marcar a entrada dos porta-bandeiras das nações participantes dos Jogos de Toronto.

Carregada pelo nadador Thiago Pereira, o “Mister Pan”, na abertura, a bandeira brasileira ficou sob os cuidados da jogadora de futebol Formiga, bem merecedora de tal título entre as mulheres. Com mais de 20 anos de serviços prestados com a camisa canarinho, a atleta de 37 anos fez em 2015 sua sexta e última participação em Jogos Pan-Americanos, fechando literalmente com chave de ouro, e garantindo estar determinada a competir nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em agosto de 2016.

Com roupas mais despojadas – em contraste ao terno da abertura – a parte restante da delegação brasileira também se mostrou mais descontraída na cerimônia deste domingo. Muitos atletas que iniciaram a competição já retornaram ao país ou aos seus locais de treino no decorrer dos 16 dias de Pan.

A participação de grupos de dança se encarregou de fazer as referências culturais. Com direito a berimbau representando o Brasil, a cerimônia teve exaltação à tradição canadense e até exibição de coreografias e música inspiradas em outras nações do globo, como China e Escócia, que têm comunidades representativas em Toronto.

Ao fim das solenidades, sob olhar vigilante e manejo imponente da Real Guarda Montada canadense, as bandeiras da Organização Desportiva Pan-Americana (ODEPA) e das Olimpíadas foram recolhidas. A primeira delas foi simbolicamente entregue a Luis Castañeda, prefeito da cidade de Lima, no Peru, sede da próxima edição dos Jogos, em 2019.

Depois de a tocha ser passada, clima total de festa. Os rappers norte-americanos e Pitbull, que também se apresentou na abertura da Copa do Mundo do Brasil, em 2014, animaram o público e providenciaram despedida animada da cidade aos Jogos Pan-Americanos. Antes deles, o grupo franco-ontariano Swing e a cantora Serena Ryder, representando sons nativos, já haviam desfilado pelo palco.

Um show visual com bela queima de fogos na CN Tower, construção na qual estava instalada a pira pan-americana, ainda deu o toque final ao evento.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.