Após 19 anos

River Plate garante vaga na final da Copa Libertadores

Após eliminar o Guaraní, os argentinos esperam por Internacional ou Tigres.
Gazeta Esportiva21/07/2015 às 23h25

ASSUNÇÃO (PARAGUAI) - Após longos 19 anos, o River Plate está de volta à decisão da Copa Libertadores da América. Na noite desta terça-feira, os Millonariosempataram com o Guaraní-PAR por 1 a 1 no Estádio Defensores del Cacho, em Assunção, e asseguraram a classificação à final, uma vez que haviam vencido por 2 a 0 na ida, em Buenos Aires.

A classificação marca a volta também de Marcelo Gallardo à decisão do torneio continental, mas agora pela primeira vez como treinador. Em 1996, quando atuava como meia, participou da campanha do segundo título da Libertadores do River Plate. Ainda como atleta, disputou em 2005 a última semifinal à qual osMillonarios haviam se classificado, mas amargou a eliminação para o São Paulo, campeão naquela oportunidade.

No duelo desta terça-feira, as duas equipes protagonizaram uma primeira etapa aberta e equilibrada, na qual ninguém conseguiu mexer no placar. Pressionando na volta dos vestiários, os donos da casa inauguraram o marcador aos 16 minutos, com tento de Fernando Fernández, mas levaram balde de água fria aos 33 minutos, quando Alario fez lindo gol de cobertura para garantir a classificação argentina.

O adversário do River na final será definido nesta quarta-feira, quando, após vitória colorada por 2 a 1 no Beira-Rio, Internacional e Tigres duelam no México pela outra vaga na decisão.

Na primeira fase, River Plate somou apenas sete pontos, mas se classificou como segundo colocado do grupo 6, atrás do Tigres, que conquistou 14. Nas oitavas de final, despachou o Boca Juniors após vencer por 1 a 0 em casa e ver os rivais eliminados pela Conmebol após polêmica em La Bombonera com gás de pimenta atirado pela torcida xeneize no túnel de acesso dos adversários ao gramado. Nas quartas, começaram perdendo por 1 a 0 para o Cruzeiro no Monumental, mas dominaram a Raposa no Mineirão e fizeram sonoros 3 a 0 para assegurar a passagem de volta à semi após dez anos.

O Guaraní, por sua vez, avançou como vice-líder do grupo 8, com 9 pontos, atrás apenas do Racing-ARG, adversário que despachou nas quartas de final. Nas oitavas, os paraguaios foram responsáveis pela eliminação do Corinthians, com duas vitórias: 2 a 0 em Assunção e 1 a 0 em São Paulo.

Guaraní e River Plate não decepcionaram no quesito clima de Libertadores e fizeram uma partida aberta desde o início. Aos sete minutos, Federico Santander sofreu falta dura de Mercado na entrada da área argentina, que rendeu cartão amarelo para o lateral argentino, e partiu para a cobrança, mas parou na barreira. Aos 11, a equipe mandante ficou pedindo pênalti após entrada de Vangioni em Patiño, mas a arbitragem mandou seguir.

Aos 14 minutos, Santander voltou a aparecer bem e recebeu na entrada da área visitante pelo lado esquerdo, cortou a marcação e bateu, mas não pegou forte na bola e Barovero defendeu sem problemas. Empurrado pelos seus dez mil torcedores que “invadiram” Assunção, no entanto, o River Plate quase abriu o placar aos 17. Rodrigo Mora, que marcou um belo gol de cobertura na partida de ida, quase repetiu a dose ao roubar bola pelo lado direito da área mandante, cortar para dentro e chutar colocando, forçando defesa importante de Aguilar.

Buscando um gol para praticamente garantir a classificação, o River passou a marcar a saída de bola dos paraguaios e cresceu na partida. Aos 24 minutos, Alario fez boa jogada pelo lado esquerdo, invadiu a área, cruzou de letra e por pouco não mandou nos pés de Carlos Sánchez, que chegou atrasado e por pouco não conseguiu desviar a bola para o gol.

Precisando marcar para diminuir a desvantagem no placar agregado, o Guaraní contou com o apoio da torcida, que respondeu aos invasores argentinos, para pressionar antes do intervalo. Explorando a velocidade de seus jogadores de frente, os donos da casa tiveram boa chance de abrir o placar aos 38 minutos, quando Benítez recebeu na intermediária, disparou entre dois defensores, ajeitou e bateu forte para forçar o goleiro Barovero a fazer sua melhor defesa na primeira etapa. Aos 42, Benítez apareceu bem novamente e, após arrancar pela direita, foi derrubado na ponta e a equipe paraguaia ganhou falta perigosa para bater, mas o juiz interrompeu o jogo logo após a cobrança, apontando irregularidade do ataque.

Assim como a primeira, a segunda etapa teve início movimentado em Assunção, com ambas as equipes buscando o campo de ataque. O River Plate concentrava suas jogadas ofensivas pelo lado esquerdo, com Pity Martínez e Rodrigo Mora. O Guaraní, por sua vez, também apostava na esquerda, com as chegadas de Fernando Fernández à linha de fundo.

Foi por aquele lado que, aos oito minutos, os donos da casa criaram a primeira chance do segundo tempo. Cáceres deu bom passe em profundidade para Benítez, que invadiu a área, cortou para dentro e bateu, mas viu a bola desviar na zaga e chegar mascada à meta, ficando fácil para Barovero. Mas foi através de troca de passes que, aos 16 minutos, o Guaraní enfim marcou. Fernández iniciou a jogada pelo meio e abriu na direita para Benítez cruzar na cabeça de Palau, que acertou a trave de Barovero. Mas o ataque paraguaio pegou o rebote e Fernández recebeu livre na entrada da pequena área para empurrar para o fundo do gol e fazer a festa da torcida no Defensores del Chaco.

Embalado pelo gol, o Guaraní se lançou para cima e, aos 21, De la Cruz fez boa jogada pelo lado direito e tocou dentro da área para Santander, que rolou para Palau chegar batendo na marca do pênalti, mas ele pegou mal na bola e mandou por cima. No minuto seguinte, Carlos Sánchez salvou o River Plate de perder sua vantagem. Após boa jogada pelo lado direito, saiu o cruzamento na área argentina e Santander cabeceou bem para vencer Barovero, mas o meia apareceu em cima da linha para impedir o segundo gol paraguaio.

Após o susto, o treinador Marcelo Gallardo decidiu dar mais gás à equipe do River e substituiu o veterano Lucho González pelo uruguaio Tabaré Viudez. Em sua primeira bola na partida, o estreante puxou bom contra-ataque pelo meio e abriu na esquerda para seu compatriota Carlos Sánchez cruzar na cabeça de Alario, que testou com firmeza no segundo pau e parou em bela defesa de Aguilar.

Aos 33 minutos, em contra-ataque rápido muito bem tramado, os argentinos balançaram as redes para praticamente liquidar a fatura. Cavenaghi recebeu no meio e deu belo passe de calcanhar para Viudez, que deu passe em profundidade para Alario. O atacante, por sua vez, invadiu a área e tocou de cobertura sobre o goleiro Aguilar para marcar um lindo e importantíssimo gol para o River Plate.

O River ainda teve chance de virar o jogo na sequência, mas Cavenaghi parou no goleiro Aguilar. Mesmo precisando fazer três para avançar, os donos da casa fizeram um fim de jogo honroso e ocuparam o campo de ataque nos últimos minutos, até os 48, quando o apito final sacramentou a histórica classificação argentina.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.