A bola vai rolar!

Confira o guia do Campeonato Maranhense de 2017

Oito equipes disputam o Estadual, que dá vagas para três competições em 2018.
Gustavo Arruda / Imirante Esporte21/01/2017 às 00h01
O Moto Club venceu os dois turnos e conquistou, de forma antecipada, o título maranhense de 2016. (Foto: De Jesus / O Estado)

SÃO LUÍS - A 97ª edição do Campeonato Maranhense de Futebol começa neste sábado (21), com a realização de três partidas em três cidades. Nesta edição, oito equipes de cinco municípios estão na briga pelo título: Moto Club, Sampaio Corrêa, Maranhão Atlético, Cordino, São José de Ribamar, Imperatriz, Santa Quitéria e Americano. Em 2016, o Moto foi o campeão maranhense, após vencer os dois turnos do torneio, enquanto o Sampaio ficou com o vice-campeonato.

Nesta edição do Campeonato Maranhense, os oito participantes foram divididos em dois grupos e disputarão dois turnos. No primeiro turno, as equipes se enfrentam em seus grupos, em ida e volta, enquanto no segundo turno, os times do Grupo A enfrentam equipes do Grupo B, em turno único. Nos dois turnos, os dois melhores de cada grupo se classificam para as semifinais, que serão disputadas em jogo único.

A final do Campeonato Maranhense será disputada entre o campeão do primeiro turno e o vencedor do segundo turno. Se uma equipe vencer os dois turnos, conquista o Estadual de forma antecipada. Os dois primeiros colocados do Maranhense garantem vagas na Copa do Brasil, na Copa do Nordeste e na Série D de 2018. Caso Sampaio Corrêa e Moto Club, que já estão na Série C, fiquem entre os dois primeiros, essas vagas no Brasileiro ficam para o terceiro colocado ou até mesmo para o time que ficar na quarta posição.

Confira o guia do Campeonato Maranhense de 2017:

GRUPO A

SAMPAIO CORRÊA

Títulos maranhenses: 32 (1933, 1934, 1940, 1942, 1953, 1954, 1956, 1961, 1962, 1964, 1965, 1972, 1975, 1976, 1978, 1980, 1984, 1985, 1986, 1987, 1988, 1990, 1991, 1992, 1997, 1998, 2002, 2003, 2010, 2011, 2012 e 2014)

Campanha em 2016: Vice-campeão

Estádio: Castelão, em São Luís (40.000) e Nhozinho Santos (12.000)

O Sampaio Corrêa aposta em Fernandinho para fazer uma boa campanha no Estadual. (Foto: Ale Viana / Agência Eleven)

Equipe com o maior número de títulos do Campeonato Maranhense, o Sampaio Corrêa está em reformulação nesta temporada, depois de um 2016 para esquecer: além de não levantar taças, a Bolívia Querida amargou o rebaixamento para a Série C. Para tentar melhorar o astral, o Sampaio quer começar o ano com a conquista do Estadual, depois de dois vice-campeonatos.

A base das últimas temporadas foi modificada, mas o Sampaio Corrêa continua apostando em jogadores da região. Aos remanescentes de 2016, como o volante Daniel Barros e o meia Hiltinho, se juntam os reforços, como o goleiro Paulo Rafael, o zagueiro Arthur Sanches e o atacante Ricardo Maranhão, e as jovens promessas das categorias de base, com destaque para o zagueiro Breno e o meia-atacante Fernandinho.

Para comandar a reformulação, o Sampaio Corrêa aposta no treinador Vinícius Saldanha: bicampeão estadual com Maranhão Atlético e Imperatriz, Saldanha treinou o Sub-20 do Tricolor em 2016, assumiu o comando do time profissional na reta final da Série B e foi efetivado. No único teste antes do Maranhense, o Sampaio derrotou o selecionado de São Mateus por 4 a 1.

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR

Títulos maranhenses: Nenhum

Campanha em 2016: 5º lugar

Estádio: Castelão, em São Luís (40.000) e Dario Santos (1.000)

Paulinho Kobayashi será o técnico do São José de Ribamar no Campeonato Maranhense. (Foto: Divulgação / Portuguesa Santista)

Em sua décima participação consecutiva no Campeonato Maranhense, o São José de Ribamar quer melhorar a campanha de 2016 e conquistar uma vaga no Campeonato Brasileiro Série D de 2018. Na última edição do Estadual, o Peixe-Pedra ficou na quinta colocação, bem perto da vaga na Quarta Divisão.

Para fazer bonito no Estadual, o São José contratou o ex-jogador Paulinho Kobayashi como técnico. Destaque de Santos e Atlético Paranaense como atleta, Kobayashi comanda um clube maranhense pela primeira vez na carreira e está confiante em um bom desempenho. “Fizemos uma preparação especial para que, dessa vez, o São José seja o intruso e busque uma vaga na decisão do campeonato maranhense”, disse o treinador.

Além da contratação de Paulinho Kobayashi para a comissão técnica, a equipe do São José de Ribamar reforçou o elenco, com destaque para o goleiro Gustavo, o zagueiro Lucas, o lateral Jefferson Abreu, o volante Gualberto, os meias Kléo e Ítalo, e o jovem atacante Klinsmann. O Peixe-Pedra está treinando desde dezembro para o Estadual.

IMPERATRIZ

Títulos maranhenses: 2 (2005 e 2015)

Campanha em 2016: 6º lugar

Estádio: Frei Epifânio, em Imperatriz (10.000)

Rodrigo Ramos está de volta ao Imperatriz. (Foto: Jeremias Alves)

Depois de um 2016 decepcionante, com o modesto 6º lugar no Campeonato Maranhense e as eliminações precoces nas Copas do Brasil e do Nordeste, o Imperatriz se reforçou bem para não repetir os mesmos erros e brigar pelas vagas nas competições nacionais de 2018. Além disso, o Cavalo de Aço quer o seu terceiro título estadual.

Para a temporada de 2017, o Imperatriz repatriou velhos conhecidos do torcedor colorado, com destaque para o lateral Aelson, o zagueiro André Penalva, o meia Rubens, e os atacantes Léo Paraíba e Cris. As principais contratações foram o goleiro Rodrigo Ramos, que foi campeão estadual com o Cavalo de Aço em 2005, o volante Robson Simplício, ex-Sampaio, e o atacante William, que defendeu o Moto Club no último Estadual.

Além de reforçar o elenco, o Imperatriz também fez um investimento na comissão técnica e contratou o técnico Sinomar Naves, tetracampeão paraense. Na pré-temporada, o Colorado deixou uma boa impressão: em dois jogos contra o Tocantinópolis, uma vitória e uma empate.

SANTA QUITÉRIA

Títulos maranhenses: Nenhum

Campanha em 2016: 7º lugar

Estádio: Rodrigão, em Santa Quitéria (7.000)

O Santa Quitéria disputa mais uma edição do Campeonato Maranhense em 2017. (Foto: Biaman Prado / O Estado)

Antes do Estadual, o Santa Quitéria teve a sua participação ameaçada por não apresentar a documentação do Estádio Rodrigão, mas conseguiu solucionar o problema e confirmou a sua presença na competição. O objetivo da Raposa é melhorar a campanha de 2016, quando venceu apenas um dos 10 jogos que disputou e ficou na penúltima posição, com dois pontos a mais que o lanterna e rebaixado Araioses.

Para não correr riscos de rebaixamento e brigar pelas primeiras posições, o Santa Quitéria fez uma forte preparação para o Estadual: desde novembro, o elenco da Raposa está montado e treinando. O técnico será Marquinhos Fumê, que já comandou as categorias de base do Moto Club e conquistou a Segundinha Maranhense com o Expressinho em 2015.

No elenco, o Santa Quitéria conta com muitos conhecidos do torcedor maranhense, como o lateral Pedro Junior, o volante Tim Marcos e o atacante Alex Campos. Com passagens por Bacabal e JV Lideral, o centroavante Juninho Lisboa é a esperança de gols da equipe do Baixo Parnaíba.

GRUPO B

MOTO CLUB

Títulos maranhenses: 25 (1944, 1945, 1946, 1947, 1948, 1949, 1950, 1955, 1959, 1960, 1966, 1967, 1968, 1974, 1977, 1981, 1982, 1983, 1989, 2000, 2001, 2004, 2006, 2008 e 2016)

Campanha em 2016: Campeão

Estádio: Castelão, em São Luís (40.000) e Nhozinho Santos (12.000)

Campeão em 2016, o Moto Club quer mais um troféu nesta temporada. (Foto: Flora Dolores / O Estado)

Atual campeão maranhense, o Moto Club chega a esta temporada com a moral nas alturas, graças a um 2016 histórico: além de faturar o título estadual, o Papão ficou entre os quatro melhores times do Campeonato Brasileiro Série D e garantiu o acesso para a Terceira Divisão. Neste embalo, o Rubro-Negro quer faturar o bicampeonato para comemorar com estilo os seus 80 anos de fundação e aumentar a confiança para a Série C, principal objetivo do clube em 2017.

Para esta edição do Campeonato Maranhense, alguns destaques da última temporada foram mantidos pelo Moto Club, como o zagueiro Wanderson, os laterais Diego Renan e Chico Bala, e os volantes Felipe Dias e Curuca, mas algumas contratações importantes foram feitas, com destaque para o lateral Tote, o zagueiro Ozeia, o volante Diego Teles, os meias Eduardo e Toni Galego, e o atacante Valdanes.

Mantido no comando do Moto Club para 2017, o técnico Ruy Scarpino admite que as mudanças no elenco prejudicam o entrosamento nas primeiras rodadas, mas disse que está trabalhando na rápida adaptação dos atletas aos novos companheiros. "A ideia é manter o mesmo time que vai estrear contra o Cordino para o jogo do Altos, pois queremos rapidamente dar entrosamento para a equipe", disse o treinador. Na pré-temporada, o Papão fez apenas um jogo-treino contra o Balneário, equipe amadora de São José de Ribamar.

MARANHÃO ATLÉTICO

Títulos maranhenses: 14 (1937, 1941, 1943, 1951, 1963, 1969, 1970, 1979, 1993, 1994, 1995, 1999, 2007 e 2013)

Campanha em 2016: 3º lugar

Estádio: Castelão, em São Luís (40.000) e Nhozinho Santos (12.000)

O Maranhão Atlético fez a sua preparação no Parque Valério Monteiro. (Foto: Biaman Prado / O Estado)

Terceiro colocado no Estadual de 2016 e garantido no Campeonato Brasileiro Série D, que começa no segundo semestre, o Maranhão Atlético não conquista o Campeonato Maranhense desde 2013 e está disposto a encerrar o jejum: se voltar a ser campeão, o Quadricolor garante calendário cheio na próxima temporada, com participações na Série D e nas Copas do Brasil e do Nordeste.

Para esta edição do Estadual, o Maranhão Atlético manteve alguns atletas da última temporada, como o lateral Rômulo Ferreira, o volante Sandro Bacabal e o meia Maurício. Além disso, o Quadricolor aposta na força de seu ataque, formado por Gileard e Naôh, e no técnico Gleibson Ferreira, que acumula passagens por diversos clubes da região Nordeste.

“Esperamos pôr em pratica neste domingo, diante do Americano, o que viemos trabalhando durante este período de preparação com o professor Cleibson Ferreira. Sabemos que será um jogo difícil, mas vamos em busca do objetivo, que é a vitória neste primeiro jogo”, disse o atacante Naôh.

CORDINO

Títulos maranhenses: Nenhum

Campanha em 2016: 4º lugar

Estádio: Leandrão, em Barra do Corda (1.400)

Ulisses é a esperança de gols do Cordino. (Foto: Leonilson Mota / Divulgação)

Representante de Barra do Corda, o Cordino se firmou na elite do futebol maranhense e irá disputar o Estadual pela sétima temporada consecutiva. Classificada para a Série D, primeira competição nacional de sua história, a Onça quer fazer uma campanha melhor do que a de 2016, quando ficou na quarta colocação, e conta com velhos conhecidos do torcedor para isso.

Maior jogador da história do Cordino, o meia Ulisses está garantido por mais uma temporada, assim como o lateral Michel, os volantes Wallison e Junior Negão, e o meia Jocivan. As principais contratações foram o goleiro Eduardo Alves e o atacante Léo Costa.

Mais uma vez, o treinador do Cordino no Campeonato Maranhense será Marlon Cutrim. Na preparação, a equipe de Barra do Corda fez dois amistosos no Estádio Leandrão, contra selecionados de São Domingos e Jenipapo dos Vieiras, e conquistou duas vitórias.

AMERICANO

Títulos maranhenses: Nenhum

Campanha em 2016: Campeão da seletiva de acesso ao Estadual

Estádio: Castelão, em São Luís (40.000) e Nhozinho Santos (12.000)

Leandro Lago terá a missão de comandar o Americano no Estadual. (Foto: Biaman Prado / O Estado)

Rebaixado para a Segundinha Maranhense em 2013, o Americano está de volta à elite do futebol maranhense depois de duas vitórias indiscutíveis sobre o Pinheiro na seletiva de acesso, disputada em outubro de 2016. Para evitar o rebaixamento, a Águia aposta em um elenco jovem, com média de idade de 25 anos.

Os principais jogadores do Americano são o goleiro Laerte, ex-Moto Club, o meia Mateus, que tem passagem pelo Balsas, e o jovem atacante Samuel, que disputou a Copa São Paulo de 2016 pelo Sampaio Corrêa, teve uma rápida passagem pelo São José de Ribamar e marcou quatro gols nos dois jogos contra o Pinheiro, pela seletiva de acesso.

“Sabemos que vai ser um campeonato forte e de qualidade, mas vamos trabalhar para ser uma grata surpresa. Todos falam que vamos brigar para não cair, mas vamos ver o final do campeonato. Cada jogo será uma final de campeonato para nós”, acredita o treinador Leandro Lago.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.