Futebol feminino

Ex-jogador vê avanço no futebol feminino, mesmo sem medalha na Rio 2016

Ex-jogador Toinho diz já há reconhecimento do futebol feminino no Brasil.
João Rodrigues/ Imirante Imperatriz29/08/2016 às 18h02

IMPERATRIZ – Apesar de ficado em apenas quinto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio, a Seleção Brasileira de Futebol Feminino deu uma grande contribuição ao futebol feminino nacional, segundo o ex-jogador de futebol Antonio de Pádua Soares, o Toinho.

A identificação pelo nome pode não ajudar, mas o apelido entrega. Esse Toinho, tem um currículo que inclui passagens pelo Sampaio Corrêa, na década de 1970, São Paulo e Grêmio, na década de 1980.

De passagem por Imperatriz como treinador do Tiradentes, time que enfrentou o JV Lideral pela Copa do Brasil de Futebol Feminino, Toinho fez uma avaliação do atual momento do futebol para mulheres

“Vemos que na Europa e Estados Unidos primam pelo futebol feminino e isso faz com que eles montem boas equipes e levem todas as jogadoras de qualidade do Brasil e tem esse destaque que tiveram, mas infelizmente não conseguimos chegar a final do campeonato”, avaliou.

Sobre sua carreira, Toinho deixou de jogar profissionalmente e há três anos comanda o Tiradentes.

“Trabalhei fora do Brasil, trabalhei com Dario Pereira, Vanilton e trabalhei em equipes como o São Paulo e Grêmio e resolvi parar porque tinha problemas particulares para resolver em Teresina e resolvi largar e ficar lá mesmo”, conclui.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.