Esports

Maranhenses são campeões dos Jogos Universitários Brasileiros de Free Fire

Mesmo sendo alvo de ataques preconceituosos, os atletas não deixaram se abater.
Cainã Oliveira / Imirante Esporte18/05/2021 às 16h10
A UCS venceu a disputa dos Jogos Universitários Brasileiros de Free Fire.

A equipe maranhense UCS (United Center Slz) sagrou-se campeã brasileira de Free Fire nos Jogos Universitários Brasileiro (JUBS). O campeonato contou com uma etapa classificatória online e a reta final de forma presencial realizada em Brasília-DF.

Os Jogos são organizados pela CBDU (Confederação Brasileira do Desporto Universitário) e teve seus categorias: CS,LOL,FREE FIRE,POKER,CLASH ROYALE, FIFA. As finais presenciais aconteceram em uma bolha esportiva criada em um hotel seguindo todas as normas de segurança de prevenção contra a Covid-19.

A UCS foi campeão após vencer a UEPB na grande final.

A equipe

Formada por Rodx ( Rodrigo Eduardo) 20 anos, M!guel (Miguel Filipo) 19 anos, Wandin (Wanderson Lucas) 19 anos, Vinny ( Vinícius Costa) 22 anos e por Martinx (Mequezedc Martins) 19 anos, a UCS joga junta desde o JUB's 2020, quando o time foi formado para disputar aquela edição que era totalmente online e não tinha a mesma relevância da edição atual. Os atletas acabaram se separando após o campeonato e se reencontraram novamente em 2021 para disputar os JUB's 2021.

Além do cenário universitário, a UCS também tem outros projetos com o Esports (ou Esportes Eletrônicos). De acordo com Ludianderson Almeida, presidente da equipe, um desses projetos é "levar o esporte eletrônico como caminho para educação em todas as comunidades e promover a inclusão, mas no momento a organização precisa de mais apoio e patrocinadores. No momento, estamos alavancando nosso projeto apenas com nossos recursos", pontuou.

O campeonato

Além da falta de recursos, como já destacou Ludianderson, outras dificuldades encontradas no campeonato foram ligados ao emocional dos atletas. Manter o equilíbrio e deixar de lado a ansiedade em um ambiente que foi marcado até pelo preconceito contra os maranhenses.

"No chat, enquanto nossa equipe jogava, os torcedores lançaram várias ofensas na live com tons de xenofobia. Falando que Maranhão só tem índio, não tem nem wi-fi. Piadas com o nome do estado também." Desabafou o presidente.

Mas como ele mesmo disse: "No final deu tudo certo" e a equipe conseguiu trazer o troféu para o estado.

Cenário dominado por nordestinos

Entre os três primeiros colocados, três times nordestinos: 1º lugar: Uniceuma SLZ - FAME/MA, 2º lugar: UEPB Gaming - FPDA/PB e em 3º lugar: Facape 007 - FAPE/PE. O excelente desempenho dos times do nordeste não foi surpresa para Miguel Filipo, MVP (status usado para o melhor jogador de uma partida competitiva), que atribuiu a boa performance a fibra do nordestino.

"O povo nordestino é guerreiro por natureza. Isso se reflete em todos os lados da nossa vida. A vontade de vencer, a garra e a determinação estão em nosso DNA. Logo, nos dedicamos ao máximo em nossos objetivos até conseguir alcança-los", enfatizou o jogador.

Planos para o futuro

Os treinos continuam firmes na busca por novas glórias. Agora, além de buscar trazer mais títulos para o nosso Estado, a equipe vai em busca de ainda mais reconhecimento e ajuda para conseguir ampliar o cenário do Free Fire e também dos jogos eletrônicos cenário no Maranhão.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.