Copa América

Gabriel Jesus celebra boa atuação em título do Brasil

Atacante participou de dois gols na vitória sobre o Peru, no Maracanã.
Imirante Esporte, com informações da CBF08/07/2019 às 21h15
Gabriel Jesus celebra boa atuação em título do BrasilGabriel Jesus comemora gol pela Seleção Brasileira. (Lucas Figueiredo / CBF)

RIO DE JANEIRO - Gabriel Jesus viveu uma tarde e tanto no Maracanã. O atacante foi fundamental na vitória do Brasil sobre o Peru por 3 a 1. Deu o passe para o primeiro e marcou o segundo gol do jogo, ainda no primeiro tempo. No primeiro gol, passou pelo lateral peruano Miguel Trauco, e deu um cruzamento, que mais pareceu um passe, para Everton abrir o placar. Depois do empate do rival com gol de Paolo Guerrero, de pênalti, já no fim da primeira etapa, o camisa 9 voltou a ser decisivo e marcou o segundo do Brasil antes do intervalo.

"Eu não trato essa Copa América como volta por cima. Aprendi depois do Mundial, vim melhor mentalmente e profissionalmente. Trabalhei bastante no Manchester (City), tive um início complicado, mas minha família e meus companheiros me ajudaram e me fizeram voltar a focar no futebol. Fico feliz de fazer parte desse grupo, conquistamos esse campeonato no suor e agora é comemorar", analisou o camisa 9 brasileiro.

Decisivo em campo, Gabriel Jesus viveu uma noite de extremos. Gol, assistência, entrega em campo. Era um dos melhores em campo, junto de Everton. Além dos dribles em Trauco, em um deles no gol para Everton, deixou sua vida dentro das quatro linhas, roubando bola e disputando todos os lances. Contudo, aos 24 minutos, em uma trombada, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou sendo expulso.

Apesar do cartão vermelho, a final deste domingo no Maracanã foi de glórias para Gabriel Jesus, um dos principais jogadores dessa geração. Com os dois gols na Copa América, o atacante é o artilheiro da Seleção Brasileira no comando do técnico Tite. Foram 17 gols, contra 14 de Neymar, segundo colocado.

"Acabei extrapolando um pouco, é um momento que vem vários sentimentos. Você está em campo, naquela energia, faltando 30, 25 minutos e eu achei que ele não deveria me expulsar, foi um encontro normal de bola, teve outros encontros também e ele nem deu falta. Complicado, sai nervoso e é um sentimento que eu poderia evitar", avaliou o atacante da Seleção Brasileira.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.