Campeonato Paulista

Palmeiras bate o Santos no Pacaembu e abre vantagem na semifinal

O Alviverde está a um empate da classificação para a final do Campeonato Paulista.
Imirante Esporte, com informações da Agência Palmeiras24/03/2018 às 22h52
Palmeiras bate o Santos no Pacaembu e abre vantagem na semifinalCésar Greco / Agência Palmeiras / Divulgação

SÃO PAULO - O Palmeiras enfrentou o Santos neste sábado (24), às 19h (de Brasília), no Pacaembu. Desta vez, o Alviverde foi a campo como visitante. Com gol de Willian, no primeiro tempo, o Palmeiras saiu vitorioso do duelo por 1 a 0 e decidirá a classificação do torneio estadual com vantagem no jogo de volta, na próxima terça-feira (27), às 20h30 (de Brasília), no próprio Pacaembu – desta vez com o Verdão de mandante.

Ao ter passando em branco no quesito “gols sofridos” nesta partida diante do Peixe, o time comandado por Roger Machado chegou a cinco duelos sem ser vazado, algo inédito nos últimos dez anos: a última vez em que o fato havia ocorrido foi na época em que Vanderlei Luxemburgo ainda comandava o time, em 2008 – à época, o Alviverde emplacou uma série de seis triunfos.

O jogo

A principal novidade no time do Palmeiras foi Jailson, que poderia estar cumprindo suspensão imposta pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) e, devido a um efeito suspensivo deferido pela Justiça, pôde ir a campo e ajudar o Palmeiras em sua atuação diante do Santos.

O duelo começou em ritmo eletrizante. Desde o início do embate, foi o Palmeiras que se mostrou mais disposto. Após algumas tentativas de chegar na área alvinegra, a jogada do gol nasceu com Keno, aos 11 minutos, que dominou a bola em velocidade pela esquerda e cortou seu marcador, encontrando Bruno Henrique – o camisa 19, por sua vez, deu passe longo e rasteiro para Dudu, que viu Willian livre e o acionou. O dono da camisa 29 teve apenas o trabalho de empurrar a bola para o fundo do gol de Vanderlei.

O Santos não demonstrou ter sentido o gol sofrido e estava disposto a atacar o Alviverde de qualquer forma. Até os primeiros 20 minutos, no entanto, a equipe de Jair Ventura conseguiu, de fato, finalizar apenas em uma oportunidade, com Renato, mas sem grandes perigos à meta palmeirense.

Aos 23 minutos, por muito pouco Willian – novamente ele – não amplia o marcador. O mérito pôde ser atribuído ao goleiro Vanderlei, que defendeu no reflexo o chute do atacante palmeirense após ter recebido cruzamento pela direita.

Aos 25, o Santos começou a exercer certa pressão sobre time do Palmeiras, com Gabriel em cima de Thiago Martins e, depois, após cobrança de escanteio. Dessa forma, a equipe liderada por Jair Ventura esboçou uma reação frente os ataques que vinha sofrendo por parte da equipe palmeirense.

Após restabelecer o controle do jogo e criar mais algumas chances, o Palmeiras sofreu um susto, aos 38 minutos do primeiro tempo, em cobrança de falta de Daniel Guedes, que cruzou na área para cabeceio de David Braz. Por pouco, o atacante santista Gabriel não chegou ao gol de empate após ficar muito perto de cabecear a bola sobrada.

Mas o desespero não se comparou àquele sofrido aos 43 minutos, quando Jailson defendeu oportunidade incrível criada por Gabriel: espalmou uma bola dificílima para a linha de fundo. Como se não bastasse, o camisa 42 do Alviverde, em seguida, operou um verdadeiro milagre! Na cobrança de escanteio do lance subsequente, nos derradeiros minutos do primeiro tempo, Jailson mostrou seu ímpeto e defendeu cabeceio à queima-roupa de Renato – na cobertura, Victor Luis afastou de vez o perigo.

Para o segundo tempo, o Palmeiras voltou do vestiário sem alterações. Logo nos movimentos iniciais, o Maior Campeão do Brasil já começou criando chance de gol em bola finalizada por Victor Luis. Em seguida, aos cinco minutos, Marcos Rocha sentiu dores e pediu substituição. Para fazer a reposição na lateral direita, o técnico Roger Machado acionou Tchê Tchê.

Ainda no início da segunda etapa, Jailson mostrou mesmo estar inspirado, fazendo mais uma grande defesa: se antecipou à chegada do jogador santista que vinha em velocidade e colocou a bola para a linha de funda, dirimindo qualquer chance de gol do adversário naquele momento.

Após cerca de dez minutos do segundo tempo, era possível perceber um Santos mais agressivo. No entanto, apesar das tentativas da equipe mandante, a disciplina tática do Verdão impediu que as investidas rivais lograssem êxito. Desta forma, o Palmeiras passou a reagir em campo também, procurando repetir o mesmo desempenho obtido no primeiro tempo.

Quando o marcador registrava 20 minutos, ficava clara a pressão que o Santos exercia. A prova disso foi outra grande defesa de Jailson aos 21 minutos, que chamou a atenção, após uma bomba disparada pelo santista Rodrigo, de fora da área, de pé direito. Em seguida, o goleiro palmeirense sentiu dores e recebeu atendimento, mas, logo em seguida, voltou ao jogo normalmente.

Visando renovar o fôlego no meio de campo palmeirense para aliviar a pressão rival e trabalhar mais a criação de jogadas de ataque, o técnico Roger Machado fez duas alterações em um curto período de tempo. Primeiro, saiu Bruno Henrique, com a camisa 19, para entrar Moisés, com a camisa 10. Em seguida, saiu Felipe Melo, com a camisa 30, e entrou Thiago Santos, com a camisa 5.

Aos 30 minutos, Jailson voltou a brilhar, pulando no canto esquerdo e salvando O Palmeiras de mais uma jogada promissora do ataque alvinegro. E a partida se estendeu para os minutos finais da partida com as duas equipes criando chances até os últimos minutos. O árbitro Flavio Rodrigues de Souza concedeu quatro minutos de acréscimo, mas nenhuma jogada subsequente mudou o resultado da partida.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.