Florida Cup

Na estreia de Rogério Ceni, São Paulo bate River Plate nos pênaltis

O Tricolor enfrentará o rival Corinthians na decisão da Florida Cup.
Gazeta Esportiva19/01/2017 às 23h58

SAINT PETERSBURG (ESTADOS UNIDOS) - Acabou a espera para o torcedor são-paulino. Enfim, Rogério Ceni estreou no comando do clube em uma partida oficial. E logo na sua primeira experiência à beira do campo, o ex-goleiro liderou o clube de coração no confronto frente ao River Plate, pela semifinal da Copa Flórida. No fim, depois de um empate por 0 a 0 em dois tempos bem distintos, melhor para os brasileiros, que foram melhores nas penalidades e avançaram à final do torneio de pré-temporada por 8 a 7. Com o resultado no estádio Al Lang, do Tampa Bay Rowdies, em St. Pettesburgh, o São Paulo confirmou o clássico contra o Corinthians para a grande decisão da competição norte-americana. O Majestoso está marcado para este sábado, em Orlando.

E se o torcedor estava ansioso para assistir seu ‘novo time’, essa expectativa foi bem compensada, de certa forma. Rogério Ceni mostrou que todo seu trabalho não ficou apenas na teoria. O Tricolor do Morumbi dominou completamente a equipe do River Plate nos primeiros 45 minutos. Com uma marcação alta, toques rápidos, jogadores trocando de posição o tempo todo, jogadas ensaiadas nas bolas paradas e Rodrigo Caio como uma espécie de libero, com a responsabilidade de fazer a transição entre defesa e ataque, a equipe brasileira amassou os rivais argentinos em seu campo de defesa.

Dentro desse cenário, o destaque ficou por conta de um reforço para a temporada 2017. Wellington Nem foi o jogador mais incisivo na partida. Foi ele que conseguiu a primeira grande chance de gol, logo aos dois minutos, ao sofrer pênalti em jogada individual. O atacante só não contava com atrasada de bola de Cueva para Bologna na cobrança.

A partir dai, o São Paulo criou uma chance atrás da outra, mas o velho problema da falta de pontaria, que tanto atormentou o clube na última temporada, ainda parece ser a grande dificuldade dessa equipe. Chavez teve quatro oportunidades claras, Luiz Araújo falhou de forma incrível em duas chances, Buffarini acertou a trave… Foi um gol perdido atrás do outro.

Atrás pelo menos a defesa se comportou bem. Denis, mantido como titular nesse início, só foi exigido uma vez, em finalização de média distância de Rodríguez, e também deu um pequeno susto na torcida tricolor ao errar o passe em uma saída de bola com os pés, como tanto quer Rogério Ceni.

Ao fim da primeira etapa, nada de gols, mas a sensação de que vem coisa boa por ai. Em pouco tempo, os jogadores parecem ter assimilado bem o estilo de jogo que o ex-goleiro deseja implantar. O São Paulo deixou sinais de que com um melhor entrosamento, uma escalação definida e o preparo físico em dia, o time terá condições de brigar por títulos nessa temporada.

Já na etapa complementar, Ceni buscou dar minutos e ritmo de jogo para as outras peças do elenco, além de tentar alimentar uma disputa interna por posição. Assim, com exceção de Buffarini, todos foram sacados. Entraram: Sidão, Lugano, Lucão, Júnior, João Schmidt, Wellington, Wesley, Cícero, Neilton e Gilberto. Com dez minutos, foi a vez de Foguete entrar no lugar do lateral argentino, e aos 32, Shaylon tomou a vaga de Neilton. O jovem Araruna também foi para o jogo, mas só aos 41, no lugar de Wellington.

Com essa nova formação, o São Paulo foi bem diferente. Não conseguiu manter a mesma pegada, sofreu com a falta de criatividade e animou o River Plate, que manteve seus principais jogadores em campo. Aos 32 veio o maior susto. Gol dos argentinos, mas, bem anulado por causa de um impedimento. Os comandados de Rogério Ceni sofreram com uma pressão dos argentinos nos minutos finais. Nos acréscimos, o River ainda acertou o travessão, mas os paulistas seguraram o empate sem gols. Assim, conforme o regulamento da Copa Flórida, as duas equipes foram para as disputas de pênaltis.

E na marca da cal, o São Paulo despachou o River Plate depois de 18 cobranças. Sidão defendeu a primeira cobrança, feita por Martínez, e a última, de Moya. Pelo Tricolor, apenas Wesley perdeu ao chutar para fora. João Schmidt, Cícero, Shaylon, Gilberto, Júnior, Araruna, Lugano e Lucão converteram suas cobranças e decretaram a vitória por 8 a 7.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.