Após tragédia

Chapecoense receberá doação milionária da CBF e renda da Seleção

Após trágico acidente aéreo na Colômbia, a Chape inicia seu processo de reestruturação.
Gazeta Esportiva05/12/2016 às 22h05

CHAPECÓ - Após perder 19 jogadores de seu elenco no trágico acidente aéreo da última terça-feira, a Chapecoense começa seu processo de reestruturação, que contará com aporte financeiro da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). De acordo com o presidente em exercício do clube catarinense, Ivan Tozzo, a entidade ajudará com uma doação de R$ 5 milhões, além de organizar um amistoso entre a Seleção Brasileira e a Colômbia para o início de 2017, com a renda da partida sendo revertida para as famílias das vítimas.

“A CBF vai doar R$ 5 milhões. Também deverá acontecer a realização de um jogo amistoso da Seleção Brasileira, ainda sem data marcada, para o início de 2017. Provavelmente será contra a Colômbia. E a renda seria destinada ao clube. É o melhor presente financeiro que poderíamos receber. Pode ser Maracanã ou até Chapecó”, revelou o dirigente em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira.

“Sempre nos preocupamos com as famílias, ajudar as famílias, o desejo deles era ajudá-los com seus entes queridos. Em relação ao financeiro, tem seguro, vamos pagar os salários, o melhor presente financeiro será a renda de Brasil e Colômbia. O que a CBF e a Conmebol fizeram por nós foi formidável, a Fifa também esteve aqui”, acrescentou.

O mandatário da Chapecoense também confirmou que a partida contra o Atlético-MG, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro e marcada para o próximo domingo, na Arena Condá, não irá acontecer. As duas agremiações, entendendo que não há clima para a realização do duelo, entraram em acordo e optaram pelo W.O. duplo.

“Já foi definido pela CBF que o jogo não vai acontecer. Será W.O. Emocionalmente não existe a possibilidade de jogo. O presidente do Atlético falou com a CBF que a ideia é essa. Não tem clima”, esclareceu Ivan, comemorando o título da Copa Sul-Americana chancelado nesta tarde pela Conmebol, que já havia recebido um pedido do Atlético Nacional (COL) para que o time brasileiro fosse declarado campeão do torneio.

“É um sentimento de justiça. A Chapecoense estava muito preparada para ganhar esse título. Jogadores super comprometidos. É uma homenagem para nós. Quero agradecer o pessoal da Colômbia”, afirmou, adiantando que será feita uma cerimônia comemorativa para o clube erguer seu primeiro troféu internacional.

“Com certeza teremos uma grande festa para receber a taça da Sul-Americana. Deixa o momento de tristeza ir embora. Vamos pegar essa taça. Vai chegar o momento certo de a gente dar a volta por cima e voltar a sorrir”, acrescentou.

Com a confirmação do título da Sul-Americana 2016, a agremiação de Chapecó se credenciou para enfrentar justamente o Atlético Nacional, atual campeão da Copa Libertadores da América, na Recopa de 2017, fato comemorado por Ivan Tozzo. “Será um jogo de irmãos. Vamos jogar para ganhar e eles também, mas será um jogo de irmãos. Ninguém vai esquecer o que a Colômbia fez por nós”, concluiu.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.