Lutas

José Aldo se diz “no limite” e anuncia aposentadoria do UFC

O brasileiro revoltou-se com o adiamento de um novo combate com Conor McGregor.
Gazeta Esportiva27/09/2016 às 22h50

RIO DE JANEIRO - José Aldo não luta mais no UFC. O brasileiro anunciou que irá romper o contrato com a categoria na noite desta terça-feira, em entrevista ao Canal Combate. Aldo, que é campeão interino do peso-pena, revoltou-se com a confirmação da luta entre Conor McGregor e Eddie Alvarez, deixando o esperado combate de revanche entre ele e o irlandês para outra ocasião e permitindo ao rival a chance de acumular dois cinturões.

“Desde que eu perdi eles prometeram uma coisa para mim. Vinha no meu pensamento que eu não queria nem mais lutar MMA, teve uma hora que chegou no meu limite”, relatou Aldo, que foi derrotado por Conor McGregor em dezembro de 2015 e perdeu o cinturão do peso-pena.

Apesar da revolta, o amazonense se diz tranquilo em relação à decisão de deixar o UFC. “Não é que estou de cabeça quente, revoltado, nada disso. Estou muito tranquilo, conversei desde muito antes que queria encerrar minha carreira aos 30 anos de idade e tomar novos rumos. Eu nunca lutei por dinheiro, queria fazer um trajetória boa e deixar um legado na categoria. Queria me aposentar como único campeão peso-pena, mas não foi dessa maneira. Sou campeão interino, estou lá em cima, mas estou realmente estou de saco cheio.”, falou.

A origem da rusga entre José Aldo e o presidente do UFC, Dana White, vem de 2013. Na ocasião, o brasileiro solicitou uma mudança de categoria para lutar pelo cinturão do peso-leve contra Anthony Pettis e recebeu um “não” de White, que alegou a necessidade de ele abrir mão do cinturão dos penas. O critério não foi o mesmo utilizado para McGregor, que lutará contra Alvarez em novembro pelos leves sem perder seu atual título do pena.

“Ele (McGregor) pode lutar contra o Alvarez, contra o Tyron Woodley, contra qualquer um. A minha vida de peso-pena tem que continuar”, reclamou Aldo. “Dei muito mais a eles do que eles me deram em troca. Só quero que possam me liberar do contrato. Se eles me oferecerem milhões, podem ficar para eles, não quero. Desculpe a expressão, mas não sou puta para me vender. Sou homem. Meu pai me fez assim”.

O brasileiro ainda manifestou o desejo de se aventurar em outros esportes. “Só quero que o UFC me libere para eu seguir a minha vida, minha carreira em outro esporte, que sempre tive o sonho”, finalizou.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.