Olimpíada

Brasil pode ter ouro após três batidas na trave

A história brasileira nas Olimpíadas é de fracasso. Mas isso pode mudar.
Gazeta Esportiva20/08/2016 às 12h54

RIO DE JANEIRO - Pela quarta vez em sua história, a Seleção Brasileira terá a oportunidade concreta de brigar pela medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. A conquista seria inédita e colocaria fim a uma luta dourada que começou ainda na década de 50.

O time canarinho, pentacampeão mundial e de diversas conquistas sul-americanas e intercontinentais, jamais sentiu o gostinho de ocupar o lugar mais alto do pódio nas Olimpíadas.

Muito pelo contrário, as Olimpiadas, na maioria das vezes, são de tristes lembranças para o Brasil, que já foi eliminado pela Nigéria e por Camarões no gol de ouro e teve que se contentar com a prata em três ocasiões. Treinadores como Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes não resitiram a uma má campanha olímpica. Pressão que Rogério Micale, em uma menor escala por não dirigir o time principal, vai ter que conviver.

A HISTÓRIA

A história brasileira nas Olimpíadas é de fracasso. O Brasil participou pela primeira vez em 1952, em Helsique, na Finlândia. O principal destaque do time era o atacante Vavá, mas os brasileiros foram eliminados na segunda fase pela Alemanha. A Seleção Brasileira, com Gérson no meio-de-campo, retornou aos Jogos Olímpicos em 1960, mas não passou da primeira etapa. Sem estrelas, o Brasil também sucumbiu na primeira fase em 1964 e em 1968.

Passaram alguns anos até que em 1976, em Montreal, o time conseguiu chegar às semifinais. Com jogadores como o zagueiro Edinho e o lateral esquerdo Júnior, o Brasil ficou em quarto lugar, perdendo para a União Soviética na disputa do bronze por 2 a 0.

Sem contar com o prestígio da CBF, em 1984 o Brasil enviou um time formado por representantes do futebol gaúcho e tendo Jair Picerni como técnico. Foi o suficiente para, quando ninguém esperava, os canarinhos ganharem a primeira medalha: prata. O ouro foi impedido pela sempre algoz França, que ganhou por 2 a 0 na final.

A prata voltou a se repetir em 1988, só que dessa vez com um verdadeiro timaço comandado por Carlos Alberto Silva. Taffarel, Bebeto, Romário e companhia perderam a final para a União Soviética; 2 a 1.

De fora de 1992, em Barcelona, o Brasil retornou aos Jogos em 1996, quando a equipe do técnico Zagallo, que tinha Ronaldo e Bebeto no ataque, foi eliminada nas semifinais pela Nigéria, com um gol de ouro de Kanu. Na disputa pelo bronze o Brasil goleou Portugal por 5 a 0.

Já em 2000, em Sydney, na Austrália, o técnico Vanderlei Luxemburgo foi demitido após a eliminação nas quartas de final para Camarões, também com o gol de ouro. Os camaroneses terminaram a partida com menos dois jogadores, no maior vexame canarinho no torneio. Ronaldinho Gaúcho era o astro do Brasil na ocasião.

O trauma foi tanto que o Brasil sequer se classificou para Atenas-2004. Já na edição de Pequim, em 2008, com Ronaldinho Gaúcho em campo e com Dunga como técnico, o Brasil ficou com o bronze, vencendo a Bélgica por 3 a 0 na disputa dos Jogos Olímpicos. Os brasileiros não puderam disputar o ouro porque perderam nas semifinais para a Argentina por 3 a 0.

Já na última edição, em Londres, o time era dirigido por Mano Menezes e chegou sem maiores sustos para a decisão, onde perdeu para o México por 2 a 1.

Se a Seleção Brasileira não sentiu o gostinho do título, a sua principal rival, a Argentina, é bicampeã, tendo ficado com o ouro em 2004 e 2008. Outro tradicional adversário do Brasil, o Uruguai, também foi campeão duas vezes. Porém nenhuma equipe ganhou mais a medalha de ouro do que a Hungria, campeã em três ocasiões.

A Alemanha, unificada, jamais sentiu o gostinho de uma final olímpica. A Alemanha Oriental, porém, foi ouro em 1976, batendo a Polônia em uma final “socilalista”. Abaixo o número de títulos por país e a relação de campeões olímpicos:

OURO POR PAÍS

Hungria: 3
Argentina: 2
Grã-Bretanha: 2
União Soviética: 2
Uruguai: 2
Alemanha Oriental: 1
Bélgica: 1
Camarões: 1
Nigéria: 1
Espanha: 1
França: 1
Iugoslávia: 1
Itália: 1
México: 1
Polônia: 1
Suécia: 1
Tchecoslováquia: 1

TODOS OS CAMPEÕES

ANO – LOCAL – OURO/PRATA/BRONZE

2012 – Londres – México/Brasil/Coréia do Sul
2008 – Pequim – Argentina/Nigéria/Brasil
2004 – Atenas – Argentina/Paraguai/Itália
2000 – Sydney – Camarões/Espanha/Chile
1996 – Atlanta – Nigéria/Argentina/Brasil
1992 – Barcelona – Espanha/Polônia/Gana
1988 – Seul – União Sovietica/Brasil/Alemanha Ocidental
1984 – Los Angeles – França/Brasil/Iugoslávia
1980 – Moscou – Tchecoslováquia/Alemanha Oriental/União Sovietica
1976 – Montreal – Alemanha Oriental/Polônia/União Sovietica
1972 – Munique – Polonia/Hungria/União Sovietica e Alemanha Oriental
1968 – Cidade do México – Hungria/Bulgária/Japão
1964 – Tóquio – Hungria/Tchecoslováquia/Alemanha Oriental
1960 – Roma – Iugoslávia/Dinamarca/Hungria
1956 – Melbourne – União Sovietica/Iugoslávia/Bulgária
1952 – Helsique – Hungria/Iugoslávia/Suécia
1948 – Londres – Suécia/Iugoslávia/Dinamarca
1936 – Berlim – Itália/Áustria/Noruega
1928 – Amsterdã – Uruguai/Argentina/Itália
1924 – Paris – Uruguai/Suíça/Suécia
1920 – Antuérpia – Bélgica/Espanha/Holanda
1912 – Estocolmo – Grã-Bretanha/Dinamarca/Holanda
1908 – Londres – Grã-Bretanha/Dinamarca/Holanda

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.